terça-feira, 18 de setembro de 2012

Análise: F-Zero X

























A corrida do século chega ao Nintendo 64.




F-Zero conseguiu ser um dos melhores títulos de corrida do Super Nintendo, e foi natural o anuncio de um F-Zero 2. Os motivos para o cancelamento de F-Zero 2 foram pouco claros, mas o que se sabe, é que o jogo não seria bem suportado pelos 16 bits da Nintendo. Em 1998, os fãs de F-Zero puderam jogar uma sequência do clássico, o excelente F-Zero X. Também não é certeza que F-Zero X tenha sido baseado no projeto beta de F-Zero 2.



F-Zero X consegue, sem favor nenhum, ser o melhor jogo de corrida do Nintendo 64; mesmo porque não houve títulos muito populares do gênero no N64. F- Zero X explorou com maestria o potencial do console, entregando um game livre de defeitos e com um clima vertiginoso. Mais uma vez, você estará em uma emocionante disputa de aeronaves. Na cabine de sua nave, você vai participar de empolgantes corridas, onde vale tudo para vencer.

Torneios e naves em grande variedade









A grande variedade de naves e torneios que o jogador tem a sua disposição já é um excelente motivo para que qualquer apaixonado pela velocidade vicie neste game. De inicio há apenas três torneios para jogar: Jack League, Queen League e King League. À medida que os campeonatos são vencidos, e conforme o seu desempenho,  outros dois torneios são destravados: Joker League e F-Zero X League. O mesmo vale para as naves. Ao todo são trinta veículos diferentes para selecionar, mas de inicio só é possível escolher cinco deles. Conforme os torneios são vencidos as naves vão sendo liberadas. F-Zero X ainda trás mais dois níveis de dificuldade extras: Master e o Professional.

Corridas mais agressivas

Se em F-Zero as corridas já eram emocionantes, em F-Zero X você vai experimentar sensações ainda mais incríveis durante as disputas. No primeiro F-Zero as corridas contavam com apenas com mais três pilotos, sendo que um desses três era o seu principal rival. Em F-Zero X há trinta corredores furiosos, dispostos a qualquer coisa para chegar em primeiro. Note que o pior momento das corridas sempre será a volta de largada, principalmente em pistas estreitas, ou então naquelas onde cair do trajeto é super fácil.


Graças aos efeitos tridimensionais do Nintendo 64 os circuitos ficaram mais agressivos. As pistas trazem subidas, descidas, se dobram em todas as direções possíveis e estão repletas de luppings. As armadilhas na estrada continuam presentes; há trechos onde o chão pode estar cheio de pedras, areia e até água, o que pode prejudicar pilotos mais desatentos. Em diversos pontos da pista haverá setas amarelas que aceleram o carro por alguns segundos. Usá-las aumenta a vantagem durante as corridas.

Os nitros estão de volta, de uma maneira que consegue ser melhor e ao mesmo tempo pior. Após completar a primeira volta os corredores terão direito de usar o nitro em qualquer momento da corrida. Se você bem se lembra, no velho F-Zero, toda vez que se passava pela linha de chegada o jogador tinha direito a um novo nitro, ou seja, em cada corrida era possível usar até três nitros. Em F-Zero X pode-se usar quantos nitros quiser. Mas há um preço alto a pagar, pois toda vez que o nitro é usado ele desconta na barra Power…  Sim, é isso mesmo! Aquela mesma barra Power que mede a energia vital do seu carro. Desse modo, recuperar a energia se torna ainda mais importante em F-Zero X. O jogador  terá de ter sabedoria dobrada antes de ativar o nitro de sua nave.

Parte técnica.

Os gráficos ficaram fantásticos. As pistas trazem detalhes bem legais e variados. Algumas das velhas pistas do Super Nintendo foram recriadas em F-Zero X, destaque para a Big Blue, que ficou com belos detalhes de água ao fundo e com curvas de deixar os jogadores tontos.


Falando em ficar tonto, F-Zero X consegue empolgar qualquer jogador com os giros de tela. Em Mute City 1, por exemplo, tem um lupping muito bem feito que chega dar vertigem no jogador. As rampas também tornam tudo muito mais empolgante; algumas são tão altas que dão a impressão de que o carro esta voando antes de cair na pista. O melhor de tudo é que mesmo com todos os efeitos não há nenhum slow down para perturbar o jogador. As naves apresentam ótimos desenhos, embora o trabalho seja bem simples. Nenhuma delas ficaram parecidas com outras naves. Os gráficos de F-Zero X estão simplesmente perfeitos.

Efeitos sonoros e músicas.

Este talvez venha a ser o ponto mais alto do game, a parte sonora. Vamos falar primeiro dos efeitos sonoros, que estão excelentes! Cada nave tem um som característico no motor. O som dos motores parece ficar abafado dentro dos túneis. Ao longo do jogo você também ouvirá uma voz que fará pequenos comentários, nada de grandioso, mas em meio a tantos efeitos a voz se torna bem divertida de escutar. Há explosões, batidas e muito mais.

Geralmente eu escuto trilhas sonoras com muita atenção, justamente por gostar de trilhas de jogos. Mas as músicas de F-Zero X são realmente especiais! A trilha desse game é puro Heavy Metal. Melhor que isso é que algumas das músicas do primeiro F-Zero voltam a este game, tocadas de uma maneira incrível e empolgante. A música da Mute City é prova disso. Todas as músicas do game trazem baterias intensas, distorções de guitarras e um baixo super agressivo. Eu como sou fanático por metal acabei tomando a trilha de F-Zero X como a minha preferida de qualquer game que eu já tenha jogado, fica até parecendo que as músicas foram tocadas por bandas como Iron Maiden, Metallica, Pantera e etc. Se você for um apaixonado por rock in roll vai aumentar o volume quando jogar F-Zero X.

Controles e Dificuldade.

Os controles de F-Zero X são muito bons, não trazem nenhum comando que seja grande novidade para quem já conheça a série. Agora você tem três tipos diferentes de visão (que não trazem grandes diferenças). De inicio pode ser um pouco ruim controlar a sua nave com o analógico do controle, mas nada que um pouco de prática não resolva o problema. Os controles são muito bons.

A dificuldade é realmente alta. Nas primeiras pistas você vai achar fácil, mas elas vão ficando mais difíceis e com mais armadilhas a cada nova etapa. Mesmo no nível mais baixo, F-Zero X pode trazer um nível de dificuldade bem elevado. É preciso um domínio muito perfeito do controle para vencer as corridas com mais facilidade. Não esqueça também de fazer um bom uso do nitro, pois conservar a barra Power é muito importante ao longo das corridas.

Conclusão










F-Zero X foi uma continuação que valeu a pena! É notável a mudança de caráter que a Nintendo deu ao game, uma vez que em certos aspectos, F-Zero X não lembra muito o primeiro game da série, deixando de lado aquela coisa meio que infantil. A Nintendo conseguiu também criar uma trilha sonora que não parece ter sido feita para um jogo de vídeo game, mas sim pra um cd de rock.

F-Zero X vai garantir boas horas de diversão e adrenalina. Um game que consegue ser empolgante e emocionante. Até hoje passo um bom tempo me divertindo com este, que conseguiu ser sem favor nenhum o melhor jogo de corrida feito para o Nintendo 64.



Nota Final





Análise escrita por: Lipe Vasconcelos.









Um comentário:

  1. Muito boa essa análise!
    Eu amo F-Zero X, e também acho que é um dos melhores jogos de corrida pra Nintendo 64 (meu console preferido), empatando com Diddy Kong Racing e Mario Kart 64.

    Parabéns pelo blog, os posts estão muito bons!

    ResponderExcluir