domingo, 11 de novembro de 2012

Análise: Super Mario 64












It´s me... Mario!





Na segunda metade da década de 90 o mundo dos games estava passando por mais uma grande revolução. A Sega chegava ao mercado com o Sega Saturn e a Sony apostava todas as suas fichas no Playstation. Nesse ritmo, o Super Nintendo não conseguiria aguentar por muito tempo, o jeito foi a Nintendo lançar um novo aparelho. O Nintendo 64 foi um grande console em termos de poder, pois enquanto a concorrência tinha vídeo games com poder de 32 bits a Big N trazia uma máquina de 64 bits. Para provar o poder de seu novo “brinquedinho” quem melhor que o encanador barrigudo? Super Mario 64 até hoje é lembrado como um jogo revolucionário em todos os quesitos, sendo chamado como “A Obra Prima de Miyamoto” junto com outros medalhões da empresa.


História

Como se pode esperar, o enredo de Super Mario 64 segue o estilo dos games anteriores da série. A Princesa Peach convida Mario para comer um bolo em seu castelo. Chegando lá, o encanador descobre que Bowser se apossou do castelo e roubou as 120 estrelas mágicas que dão vida ao lugar, escondendo-as em vários mundos desconhecidos. Cabe somente ao Mario achar a todas e impedir que Bowser tente mais uma vez dominar o mundo dos cogumelos.

Mario: O Caçador de Estrelas

Em Super Mario 64 Miyamoto manteve o velho estilo de ação/plataforma que consagrou a série, mas sem deixar de acrescentar inovações ao game. Mario deverá explorar o imenso castelo da princesa Peach dominado por Bowser e seu exército. O castelo é repleto de salas que darão ao jogador acesso aos 18 mundos do game, sendo que três desses mundos são aqueles onde Mario deve enfrentar Bowser. Além dos mundos, ainda há lugares secretos para serem achados nos arredores do castelo. Os mundos são acessados através de quadros nas paredes do castelo, outros vão estar muito bem escondidos, quase que invisíveis.



Dentro dos mundos o seu objetivo será achar as estrelas que Bowser escondeu, ao todo o jogador terá de achar sete delas. No inicio de cada mundo você verá o número da estrela que deverá conquistar e uma frase que indica o objetivo a cumprir na fase. Uma vez que uma estrela seja resgatada, um novo objetivo é desbloqueado, indicando a próximo desafio ao jogador. Mas isso não quer dizer que você não possa pegar as estrelas na ordem que bem entender! Mas há alguns casos onde um objetivo só pode ser alcançado após cumprir uma tarefa especifica; a corrida contra a tartaruga, por exemplo, só e desbloqueada após derrotar o King Bomb.

Ao longo do game o jogador não é obrigado a pegar todas as sete estrelas de um mundo antes de ir para o próximo, até por que algumas estrelas precisam de recursos que nem sempre estarão disponíveis de inicio, como um chapéu para voar, por exemplo. Para abrir novas áreas do castelo o uso das estrelas é essencial, pois certas portas exigem que o jogador tenha conquistado um determinado número de estrelas. Ao todo o jogador precisa ter o mínimo de 70 estrelas para chegar ao fim do game. No entanto, vale ressaltar que é muito gostoso gastar mais tempo para fazer 100% do game!


Algumas estrelas são bem fáceis de conseguir, outras já darão mais trabalho ao jogador. A melhor maneira de se dar bem é fazer um tour pelos mundos para depois começar a cumprir as tarefas que o jogo propõe. A ideia de completar objetivos deixa o game mais dinâmico e divertido. Algumas estrelas são conquistadas depois de derrotar um chefe, ou então depois de visitar um determinado lugar ou até mesmo após fazer um favor a algum personagem. Em alguns casos o jogador vai se sentir bem desafiado, principalmente nos clássicos trechos de plataforma.

Sem Power-Up´s e com barra de energia?

Em meio a tantas novidades, Super Mario 64 trouxe algumas coisas bem peculiares, principalmente para aqueles que conhecem a série desde os seus primórdios. A diferença mais marcante é a ausência dos velhos Power-Up´s. Não existem mais cogumelos ou flores de fogo para transformar o herói nas formas que conhecemos. Outra diferença é que pela primeira vez Mario traz uma barra de energia, antes bastava um inimigo tocar em Mario para que ele perdesse um Power-Up ou uma vida. Essas diferenças não chegam a ser um ponto negativo no game, mas como eu disse acima, jogadores mais antigos podem estranhar esses detalhes.


Agora há três tipos diferentes de moedas no jogo: As amarelas (valendo uma moeda comum), vermelhas (valendo duas moedas comuns) e azuis (valendo três moedas comuns). As moedas amarelas são as mais simples de encontrar. As vermelhas são de extrema importância, pois em todos os mundos do game há apenas oito delas, coletando todas as moedas vermelhas o jogador é recompensado com uma estrela. Fora isso as moedas também recuperam a barra de energia de Mario, debaixo d/ água funcionam como oxigênio.

Bonés especiais

Os Power Up´s foram substituídos pelos três bonés especiais. Se você bem se lembra, em Super Mario World havia as caixas vermelhas, verdes e azuis, que eram ativadas nos palácios de transformação, certo? Pois é! Aqui neste jogo estes blocos estão de volta, mas de uma maneira diferente. Para ativar essas caixas o jogador precisará achar o mundo especial para cada uma delas. Quando as caixas são ativadas o jogador pode usar o boné que estará nelas, adquirindo um poder diferente para o Mario que só vai durar por alguns segundos.














Com o boné vermelho é possível voar, bastando executar um salto triplo, ou, usando um dos canhões para dar impulso. Há moedas, estrelas e lugares que só podem ser alcançados voando. Com o boné verde Mario assume uma forma metálica que o ajuda a andar de baixo da água e também impede que a correnteza o afaste, haverá estrelas que estarão dentro de correntes de ar que só podem ser pegas quando Mario estiver na forma de metal. O boné azul deixa o herói transparente, assim ele pode atravessar grades. Esse boné é ótimo para pegar estrelas e moedas que estejam dentro de gaiolas.












Parte Técnica.

A parte gráfica foi um dos pontos mais impressionantes do game na época em que foi lançado. Hoje em dia você pode achar que os gráficos são feios e ultrapassados, mas em 1996 jogos dessa maneira era uma novidade e tanto. Todos os cenários foram construídos de maneira impressionante. Se você joga Mario a longa data vai estar bem familiarizado com os ambientes que o game trás. Serão florestas, montanhas, campos, áreas nevadas, desertos, e a Nintendo ainda trouxe uma versão tridimensional da casa fantasma de Super Mario World. Todos os cenários ficaram com detalhes bem bonitos e cores alegres, da maneira como um game da série Mario deve ser.

Os personagens ficaram com desenhos ótimos. Vou começar falando do próprio Mario, que ficou muito bem feito e com uma animação bem engraçada, como sua maneira de correr e saltar. Os fãs mais antigos podem ficar felizes, pois todos os inimigos clássicos da série foram transportados para este game, desde os gombas até as tartarugas. É engraçado ver uma tartaruga correndo atrás do seu casco enquanto Mario a usa como um skate. Os gráficos estão realmente incríveis, mesmo para os dias atuais!


Os efeitos sonoros são muito legais. Alguns sons a Nintendo fez questão de manter, como aquele bem conhecido quando Mario entra em um cano. Sempre que Mario dá um pulo ou bate em um inimigo ele dá um grito que ficou muito bem feito. As vozes foram bem aplicadas nesse game, toda vez que você o Mario morrer dentro de um mundo ele é expulso dele dizendo “Mama Mia”, Bowser também dá uma gargalhada muito bem feita quando o enfrentamos.

Os games da série Mario sempre trouxeram ótimas músicas e com Super Mario 64 não teria de ser diferente. A trilha sonora pode não ser variada, mas é marcante e divertida. A música tocada no castelo da princesa com certeza ficou marcada na cabeça de qualquer um que tenha jogado SM64. O jogo mescla sua trilha sonora com temas alegres, rápidos, calmos e tensos, como o tema dos mundos de Bowser.


Os controles são excelentes, Super Mario 64 foi o primeiro game a usar um direcional analógico, este mesmo direcional foi muito bem utilizado e passou a ser o padrão de 80% dos jogos lançados para o Nintendo 64 em sua vida útil. É possível dar um pulo triplo, socar, chutar, dar voadoras, arremessar objetos, nadar, pular e quicar contra uma parede, e etc. Os comandos são muitos, sendo necessário praticar todos eles antes de começar o jogo de verdade. O controle do Nintendo 64 trazia os botões C, botões amarelos que se assemelham ao direcional que também eram muito utilizados. Na maioria dos jogos, esses botões eram usados para mexer no ângulo e distância das câmeras, coisa que é possível fazer em Super Mario 64. 

A dificuldade é média, algumas estrelas são fáceis de pegar, enquanto outras vão dar muito trabalho. Nos mundos onde há neve os controles não ajudam muito, pois Mario desliza demais. Ao longo do jogo há alguns chefes, mas nenhum deles é difícil. O que pode deixar o jogo realmente trabalhoso é o péssimo posicionamento das câmeras, que teima em mudar sozinho conforme Mario avança na tela. Isso acaba por atrapalhar demais o jogador, principalmente nas partes onde é preciso andar por partes muito estreitas ou pular por várias plataformas.

Conclusão


Se me pedissem para definir Super Mario 64 em uma palavra, essa palavra seria “MARAVILHOSO!”. Mesmo depois de 16 anos de seu lançamento este game ainda consegue encantar a qualquer jogador. Na época do seu lançamento Super Mario 64 caiu nas graças da critica e é considerado até hoje como um jogo revolucionário, servindo de base até para o atual Mario Galaxy, do Nintendo Wii. Trata-se de um jogo imperdível, daqueles que aparece raramente no mercado e acaba virando base para diversos títulos futuros (Banjoo-Kazooie e Jak and Daxter são ótimos exemplos).  Mesmo com 16 anos de vida é um jogo que vale a pena ser conferido, não importa sua idade ou geração!




Nota Final




Análise escrita por: Lipe Vasconcelos.







3 comentários:

  1. É aquele negócio, a Nintedo sabe explorr os seus consoles. Mario 64 é mais uma prova disso.

    ResponderExcluir
  2. Não tem o que discutir sobre SM64, inclusive tenho ele comigo no celular (Zelda:OoT também). Engraçado que sempre fui fã e joguei, mas nunca cheguei ao fim...vai entender.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Um super joga que de verdade visa a diversão dos jogadores, eu ainda tenhu um Nintendo 64 com este super jogo.

    ResponderExcluir