sábado, 24 de novembro de 2012

Artigo: Os Clones mais Descarados dos Games.


Desde o mundo é mundo a frase de ordem mais comum se tornou “Neste mundo nada se cria, tudo se copia”. Ainda que este ditado não se aplique a 100% da industria, sabemos que tem se tornado cada vez mais comum copiar músicas, filmes e livros, claro que não descaradamente - ninguém gosta de uma acusação de plágio. No mundo dos games isto não é diferente, e desde sempre, vemos os mais diversos clones, geralmente de títulos que fizeram grande sucesso. Você já analisou quantas “homenagens” a jogos consagrados existem no mercado? A Save Point BR sim! E agora você confere os clones mais descarados da história dos games!

Vampire.



Na década de 80 o NES se tornou a plataforma mais popular do mercado, de modo que todas as grandes produtoras tinham um contrato de exclusividade com a Nintendo, deixando o Master System na mão! Desse modo, a Sega precisou correr atrás do prejuízo, lançando games que pudessem competir com os grandes nomes da Nintendo. Dessas produções nasceu Vampire, que por muito tempo fez muitos jogadores acreditarem que se tratava de uma versão de Castlevania, da Konami, que era um dos títulos mais consagrados da Nintendo.

As semelhanças entre os títulos são gritantes. Em Vampire o jogador controla Dr. Social, um paranormal que descobre no conhecido “jogo do copo” que o Conde Drácula está retornando a vida. Sendo o único a possuir essa informação, o Doutor vai enfrentar com todas as armas que tiver essa ameaça, até chegar ao covil do vampiro. Esse enredo te lembra algum game?



A parte boa é que o clone tem as mesmas qualidades que fizeram de Castlevania um sucesso no NES, em alguns quesitos até supera o game da Konami. Dr. Social encara cenários obscuros, inclusive o próprio castelo do Conde Drácula. Os cenários apresentam os mesmos detalhes que Castlevania, com engrenagens da torre do relógio, paredes rachadas e até inimigos tirados da literatura popular, como Jack – The Ripper.  A trilha sonora é bem feita, com uma qualidade acima do que se via no Master System. Os controles muito estão mais ágeis que os de Simon ou Trevor Belmonte.

Apesar de tantas semelhanças, Vampire não teve nada da Konami, não sendo um jogo da série Castlevaia. Mesmo assim foi um título de personalidade, sem contar que o jogo supriu nos fãs a falta de um Castlevania no Master System. O jogo sem dúvida alguma vale à pena!


Castlevania – Symphony of The Night.



A franquia da Konami não se contentou em apenas ser clonada, ela quis clonar uma formula de sucesso também! Castlevania II – Simon´s Quest foi a primeira tentativa de mudar a mecânica da série, mas o resultado foi abaixo do esperado e muitos fãs viraram o nariz para o título (convenhamos, é bem chatinho, mesmo!) Mas em 1997 veio uma nova tentativa em Symphony of the Night. Não é preciso explicar por que o game se tornou um clássico no Playstation, trata-se de um jogo genial! Mas você sabe exatamente o motivo do game ser apelidado de Metroidvania?



A Nintendo já era mestre em fazer os jogadores explorarem um grande ambiente na franquia Metroid. No caso, os jogadores eram lançados em um planeta desconhecido, fazendo a heroína Samus Aran explorar cada canto de um planeta totalmente desconhecido. Metroid nunca foi separado por fases, em vez disso, o jogador precisa vencer chefes e coletar itens e chaves que provém acesso a novas áreas. Mesmo assim, sempre é necessário retornar a um setor especifico do planeta, a fim de descobrir algo que antes não era possível. E foi baseada nessa ideia que a Konami deu aos jogadores o seu ápice de sua franquia vampírica. Mas em vez de um planeta, o vampiro Alucard precisa destrinchar um imenso castelo, vencendo chefes e coletando novos poderes que o levam a novos aposentos da moradia de Drácula. Assim como acontece com Vampire, Symphony of the Night também possui muita personalidade. Pena que isso não pode ser dito do nosso próximo game!

Cold Fear.


Dizer que Cold Fear é um jogo ruim seria muito injusto, mesmo assim, é inegável que se trata de uma cocha de retalhos completa. Desenvolvido pela Dreamworks e publicado pela Ubisoft, Cold Fear toma como principal referência a franquia Resident Evil, com o quarto episódio da série como ênfase. O oficial da guarda costeira americana, Tom Hansem, é enviado a uma investigação em uma embarcação russa que está naufragada no mar. Chegando lá, o protagonista descobre que algo muito bizarro matou a tripulação do navio, e o pior, algumas delas se transformaram em criaturas malditas. Você já viu isso em algum lugar!



A mecânica do game é basicamente a mesma da série Resident Evil. Você pode usar a câmera de visão dramática, que torna o jogo impossível na parte de combate; ou então, manter a mira ativada (igualzinha ao RE4), mas privando o jogador de ações simples, como correr, por exemplo. Se há algo de original em Cold Fear é sua ambientação, que acontece no meio do mar, em um navio abandonado. De resto, você tem a exata ação apresentada em Resident Evil 4, mas sem o brilho que a franquia da Capcom possui!

O maior problema de Cold Fear, ou melhor dizendo, TODOS os problemas do jogo, estão nas mecânicas tiradas de Resident Evil e Silent Hill, no entanto o jogo as usa de maneira tão fria quanto a palavra " cold" em seu título. Seu enredo consegue ser o pior quesito, pois além de ser visível a “inspiração” em Resident Evil, o jogo ainda termina de maneira confusa, com questões que são totalmente esquecidas pelos produtores. O próximo game da lista também foi uma versão genérica de um grande sucesso, mas pelo menos o possui brilho próprio.

Dante´s Inferno.


Quando a Ubisoft anunciou o ultimo capitulo da trilogia Prince Of Persia, em 2004, a Sony trouxe God of War como o novo título de ação da geração, isso para suprir a falta da saga do jovem príncipe. Em 2009 a Visceral Games fez o mesmo quando mostrou ao mundo Dante´s Inferno, como um tapa buracos após o fim da saga de Kratos em God of War 3, ou pelo menos era assim que deveria ser! Dante´s Inferno acabou sendo lançado para competir diretamente com o título da Santa Mônica Studios. Mais do que competir, a Visceral copiou sem nenhuma vergonha cada detalhe que fez de God of War um clássico.



Dante´s Inferno é baseado na Divina Comédia, poema de Dante Alighiere, onde um homem viaja pelo inferno, purgatório e paraíso. Mas no título da Visceral, Dante é um cavaleiro da igreja que desce aos nove círculos do inferno para salvar sua amada Beatriz, que perde sua alma em uma aposta com Lucifer. Sua jornada é marcada por puzzles, batalhas frenéticas e mini-games de contextos... Todos exatamente iguais aos da franquia God of War, mas sem o mesmo brilho. Como se não bastasse isso, Dante´s Inferno ainda toma emprestado um sistema de índole, exatamente igual a Darkwatch, da Capcom, onde Dante deve julgar pessoas no inferno. Ao perdoar uma alma o mocinho ganha pontos de luz, mas se a condena adquire pontos das trevas.

Mesmo com muitas criticas, Dante´s Inferno se tornou um game bem conhecido em sua geração. E ainda que tenha sido anunciado como o inicio de uma série, até hoje a Visceral nunca falou sobre um possível Dante´s Inferno 2. Será que ainda sobraria mais espaço pra copiar God of War?


Killer Instinct.


Um torneio mortal, lutadores com poderes estranhos, sangue e finalizações. Esses sãos os principais quesitos que há em comum entre Killer Instinc e Mortal Kombat. No entanto, nunca foi realmente comprovado esse fato. Comprovado ou não, Killer Instinct foi um jogo lendário nos fliperamas, e ainda se tornou exclusivo da Nintendo nos consoles caseiros.


Killer Instinc uniu todos os elementos primordiais que fizeram de MK um game lendário. O sistema de combos não chega a ser tão incrível como no game da Midway, mas sem dúvida possui valor. O time de lutadores de KI também é bem bizarro, com destaques para um dinossauro ressuscitado e um esqueleto. A comparação falha no quesito violência, que não é tão absurdo e Trash como Mortal Kombat. E ai, qual você considera melhor? Eu fico com Killer Instinct!


Escrito por: Lipe Vasconcelos.







8 comentários:

  1. Excelente texto, eu iria fazer um parecido para o meu blog, mas, como eu estou ocupado com outras coisas, vou deixar para um futuro próximo. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Grande Filipe fazendo grandes postagens. Se for procurar, ainda vai achar uma porrada de clones de GoW.É como acontece hoje com os FPS. Se uma forma deu certo, vamos copiar adoidado e fingir que somos fodas. Gostei da parte do SoTN, mas talvez a Konami não tenha copiado exatamente, mas deixou a franquia evoluir pra isso, o plataforma tem a tendencia pra evoluir pro MetroidVania.

    Parabéns garoto =D

    ResponderExcluir
  3. hehe só não concordei com a parte que vc prefere o killer instinct, agual a mortal kombat só mortal kombat, mas o gosto é seu, e o vampire eu coneço ele como master of darkness e esse jogo do master system na minha opinião dá uma lapada nos castlevanias no nes e do ps1, só perde pro castlevania do n64 e do ps2 ótimo post!

    ResponderExcluir
  4. otimo texto mas vale lembrar que Resident Evil 4 e Cold Fear foram desenvolvidos no mesmo tempo e foram lançados em diferença de poucos meses, então tecnicamente eles são parecidos e não copia um do outro.

    ResponderExcluir
  5. Dante´s Inferno é do mesmo Criador de GOW, meio dificil ñ ter semelhanças memsmo né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até onde sei, GoW e Dante´s Inferno são de estúdios diferentes. Também não há noticias de que algum criador de GoW tenha botado o dedo em Dantes inferno!

      Excluir
  6. Houve um erro sobre castlevania,o primeiro castlevania com mapa aberto sem um sistema linear de fases,foi o vimpire killer que foi lançado em 1986 para msx2,ele saiu no mesmo ano do primeiro metroid,com uma diferença de pouquissimos meses entre ambos,ou seja,não há como esse estilo de castlevania ser copia,até porque programação é algo muito complexo,só haveria como os dois jogos sairem na mesma época se o desenvolvimento de ambos tivesse começado mais ou menos no mesmo período.

    PS: concordo com o resto da lista,só te peço que procure se informar melhor antes de apontar o dedo e chamar de copia.

    PSS: no ano de 1985,foi lançado Dragon Slayer II: Xanadu.que trouxe diversos elementos como um mapa aberto para ser desvendado, NPCs, trocas de equipamentos e até um sistema de carma.

    ResponderExcluir
  7. Houve um erro sobre castlevania,o primeiro castlevania com mapa aberto sem um sistema linear de fases,foi o vimpire killer que foi lançado em 1986 para msx2,ele saiu no mesmo ano do primeiro metroid,com uma diferença de pouquissimos meses entre ambos,ou seja,não há como esse estilo de castlevania ser copia,até porque programação é algo muito complexo,só haveria como os dois jogos sairem na mesma época se o desenvolvimento de ambos tivesse começado mais ou menos no mesmo período.

    PS: concordo com o resto da lista,só te peço que procure se informar melhor antes de apontar o dedo e chamar de copia.

    PSS: no ano de 1985,foi lançado Dragon Slayer II: Xanadu.que trouxe diversos elementos como um mapa aberto para ser desvendado, NPCs, trocas de equipamentos e até um sistema de carma.

    ResponderExcluir