quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Joguei e não recomendo: Resident Evil 4 e Devil May Cry 3 (CONVERSÕES PARA O PC)




Melhor ter jogado o jogo do Pelé!





Atualmente os computadores e consoles se tornaram plataformas extremamente rentáveis no mercado de games. Por mais que você prefira o seu Playstation 3 ou o X-Box 360, é impossível negar que os computadores atuais já ultrapassaram os consoles a muito tempo (só os fanboys não enxergam isso). Infelizmente, parece que ainda há um tabu nas empresas com relação aos computadores. Mesmo que seja uma plataforma de maiores possibilidades, ainda há títulos multiplataformas que não surgem em PC´s. Exemplos atuais seriam Silent Hill Downpour, Dante´s Inferno e Metal Gear Rising. Todos esses títulos estão disponíveis para os principais consoles do mercado, mas não chegaram ao PC.

Quando há conversões para os computadores a maioria é bem satisfatória. Bons exemplos seriam Batman: Arkham Asylum, Call of Duty: Black Ops 2 e, o mais recente lançamento da Capcom, DmC: Devil May Cry. Esses games, além de uma excelente conversão e jogabilidade, permitem melhores manipulações técnicas, de modo que podem ficar mais bonitos que em um console, ou, dependendo do seu PC, confortáveis pra rodar num desempenho mais ameno, mesmo que signifique a perda de detalhes gráficos.  Feita está longa introdução, falaremos das duas conversões mais vergonhosas da história dos games.

Fique calmo! Não irei detonar Devil May Cry 3 e Resident Evil 4. Afinal, são dois dos melhores games da jogoteca do PS2. Mas esses dois clássicos foram ridicularizados e humilhados em suas conversões para o computador. Até hoje eu fico simplesmente puto, só de lembrar que dois dos games mais memoráveis da história da Capcom foram os dois ports mais mal feitos que qualquer um já tenha jogado. A raiva se torna maior quando lembro que o estúdio responsável pelo port de ambos games foi a Ubisoft. Sim, o estúdio por trás das maiores maravilhas da atual geração.

Resident Evil 4.

Como todos sabem, Resident Evil 4 foi anunciado como um exclusivo para o Game Cube. O game foi lançado em 2005, e alguns meses depois, visto as vendas do Playstation 2 no mercado, a Capcom acabou lançando uma versão para o console da Sony, adicionando extras interessantes ao game, mas com algumas perdas técnicas. Quando foi anunciado para Nintendo Wii e PC, em 2007, os fãs ficaram mais animados, principalmente os usuários de computador.

Em se tratando de um jogo de 2005, que seria lançado para computadores com tecnologia de 2007, era esperado que Resident Evil 4 fosse um título de ponta. Imagina só o salto gráfico que o game teria! Infelizmente, Resident Evil 4 foi um fiasco. Como dito acima, o port do game foi feito pela Ubisoft, que se preocupou somente em dar suporte para resoluções mais altas ao game, mas sem realmente polir os gráficos. Com isso, mesmo máquinas mais poderosas sofriam com engasgos freqüentes na tela. Algumas texturas, mesmo com resoluções mais altas, pareciam estouradas e fora de foco. Para amenizar o problema, muitos fãs começaram a lançar patchs não oficiais, que ajudavam a corrigir os bugs.

Outro problema foi à falta de suporte a mouse no game. Mas pelo menos era possível fazer a configuração do teclado da maneira desejada. Ainda que não fosse a melhor opção, era confortável mirar usando as setas do teclado. Caso tivesse um game pad, era possível configurá-lo, o que sem duvida, era mais satisfatório. Pena que isso não foi pensado no game abaixo!

Devil May Cry 3 – Dante´s Awakening: Especial Edition.

Inicialmente, Devil May Cry 3 – Dante´s Awakening, foi lançado somente para Playstation 2, plataforma que sempre manteve a exclusividade da franquia. Algum tempo depois, a Capcom anunciou que lançaria a versão Especial Edition, contendo níveis de dificuldade diferentes e um novo personagem jogavel, Virgil. Também fora anunciado que o título receberia um port para PC, também a cargo da Ubisoft.

Assim como o companheiro acima, Devil May Cry 3 recebeu um port porco. Pelo menos o game não apresentava os mesmos problemas de desempenho que RE4, e em geral, uma máquina bem servida poderia rodá-lo sem grandes problemas. Ainda assim, algumas texturas e efeitos presentes na versão para PS2 simplesmente não estavam presentes aqui, como se tivessem sido excluídas. Mais uma vez os fãs mexeram seus pauzinhos, desenvolvendo patchs de correção e otimização. De modo geral, jogar DMC3 no PC não seria tão ruim, já que o game fica deslumbrante com tais correções aplicadas. Mas infelizmente, há um problema que ninguém conseguiu resolver!

Sabe-se lá o motivo, mas DMC3 não dá liberdade ao jogador para mapear os controles ao seu gosto. Não há a menor possibilidade de configurar a movimentação de Dante nas setas do mouse. E levando em conta as demais limitações do sistema, não há a mínima chance de configurar os comandos de modo confortável no teclado. O jeito é apelar para um bom game pad, ai fica tudo legal, né? Infelizmente não!

Dependendo da marca de Game Pad usada pelo jogador, há um bug na programação que torna Dante incapaz de andar em linha reta; ou seja, você o direciona para frente e ele insiste em andar na diagonal. Para a grande maioria que sofria deste problema, era possível baixar um programa que corrigia o erro. Mas era realmente chato corrigir isso, e também era necessário deixar o programa rodando junto com o game, caso contrário, Dante continuaria na diagonal o tempo todo.

Conclusão.

Desrespeito! Essa é a palavra que define o trabalho da Ubisoft ao levar esses dois grandes games para o PC. Trata-se de um trabalho porco e sem qualidade, como se a empresa tivesse improvisado um emulador para rodar os jogos a precárias condições. É realmente humilhante, mas se não fosse pelos hacks, não teríamos tido chances de jogar nenhum desses dois games no PC, já que nem a Ubisoft e nem a Capcom se mexeram para reparar as falhas em seus lançamentos.

Graças a deus, a Capcom se redimiu com Devil May Cry 4 e Resident Evil 5, cuidando pessoalmente das conversões e entregando produtos de qualidade aos jogadores. Mas as DMC 3 e RE4 é a prova de que ainda há empresas que subestimam o poder de uma boa máquina de jogos. No final, só quem sai perdendo com isso são os usuários, que tiveram a oportunidade de jogar em seus pc´s dois excelentes games, mas que foram convertidos de uma maneira muito infeliz. Se você quer tirar o máximo proveito de Devil May Cry 3 e Resident Evil 4, melhor procurar um Playstation 2 pra jogá-los com todo o seu glamour!  

























Escrito por: Lipe Vasconcelos.








Um comentário:

  1. Parece que eles nem se importam com os ports, é só pei bufo sem nenhum carinho

    ResponderExcluir