domingo, 24 de março de 2013

Análise: Mortal Kombat.




























O combate mais sangrento de todos os tempos!




Ah sim, Mortal Kombat! Ainda lembro quando chegávamos às casas de jogos e a gurizada fazia fila para poder jogar este grande clássico da pancadaria. Mortal Kombat foi o concorrente direto de Street Fighter, nos anos 90. Foi com ele que os jogos de luta começaram a ser mais do que jogos onde os lutadores largavam porrada uns nos outros, mas sim, começavam a matar de verdade.


Em meados da década de 90, games como Street Fighter, Mortal Kombat e alguns outros, eram feitos apenas para os fliperamas. Com o tempo, estes jogos foram ficando cada vez mais populares e as produtoras de jogos caseiros começaram a distribuir alguns deles para os consoles. Mortal Kombat é um desses games, lançado para os fliperamas em 1992, e em 1993, para o Mega Drive e Super Nintendo, através da Acclain. MK marcou muito por ter sido o primeiro game de luta a abusar da violência e por ter usado atores reais como base para a criação dos personagens. Infelizmente, a versão caseira do jogo não ficou tão sangrenta quanto à dos flipers.

LUTANDO PELO DESTINO DA TERRA!

O Mortal Kombat é um torneio onde os maiores lutadores do mundo disputam à honra e a glória. Por muito tempo, o único vencedor do torneio tem sido o feiticeiro Shang-Tsung. Este temido guerreiro vence o torneio para agradar os seus deuses obscuros, por isso, ele sempre rouba a alma de seu adversário após derrotá-lo.

 




Porém, em um torneio, apareceu um adversário a sua altura. Um jovem chamado Kung Lao, que conseguiu derrotá-lo no torneio. Após está luta, o feiticeiro desapareceu e todos acharam que Shang-Tsung havia morrido. Mas ele voltou, anos depois, mas estava fraco demais para continuar, e por isso usou outro lutador para vencer o grande torneio por ele; uma bizarra criatura de quatro braços chamada Goro. O monstrengo já ganhou o torneio por nove vezes consecutivas, se tiver sua décima vitória, o mundo dos homens será dominado pelo mundo das sombras. O destino do mundo depende dos representantes do mundo dos homens, e este Mortal Kombat irá decidir o destino de dois mundos.

Conforme o título sugere, em Mortal Kombat, as lutas terminam sempre com a morte de um lutador. As lutas são bem simples, mas bastante empolgantes e inovadoras, pelo fato de cada golpe fazer o personagem sangrar. Os lutadores não são apenas humanos, sem contar que MK deu a luz a um dos personagens mais famosos do mundo dos games: O ninja Scorpion.


Mortal Kombat conta com 10 personagens, sete deles, jogáveis: Liu Kang, Sonia, Johnny Cage, Kano, Rayden, Scorpion e Sub-Zero. Dois chefes: Goro e Shang-Tsung; e um lutador secreto; Reptile. Cada um deles possui um poder diferente: Sub-Zero, por exemplo, pode congelar o oponente, Rayden é o Deus do trovão, usa raios e assim por diante.
  

Parte Técnica.

Pela parte gráfica o jogo já é uma maravilha. Naquela época era comum que personagens fossem desenhados nos jogos. Já em Mortal Kombat os personagens foram criados com base em atores reais que foram digitalizados. Desta forma, os bonecos ficaram muito bem feitos e com semelhanças bem realistas, principalmente no rosto. Os cenários são muito bons. As lutas acontecem em arenas, templos e até mesmo no alto de pontes, aliás, as pontes se tornaram cenários clássicos no jogo.


Os efeitos sonoros variam de acordo com a versão. No Super Nintendo e Fliperamas existem mais vozes, sendo que no Mega Drive algumas foram retiradas. Os sons de golpes e magias ficaram muito bons e cumprem bem o seu papel. A trilha sonora ficou muito boa no Mega Drive, mas no Super Nintendo faltou um pouco mais de qualidade e as músicas ficaram muito baixas.

FINISH HER!

Mortal Kombat é bem violento. Infelizmente, parte dessa violência foi cortada na versão caseira do game. Nos fliperamas, cada golpe produzia um jorro de sangue no lutador. As fases da ponte ficaram conhecidas principalmente pela possibilidade de derrubar o lutador ao fim do combate (na versão de fliperama o jogador sempre era derrubado em espinhos com restos de corpos presos neles). Nas versões de console os pedaços de corpos foram retirados.


Mortal Kombat foi o primeiro game de luta a usar golpes de finalizações que são chamados de Fatalities. Ao fim de cada combate aparece na tela à palavra “Finish her/him”. Enquanto a palavra brilhar você poderá executar uma seqüência especial que resulta numa morte muito cruel e sofrida. Cada personagem tem um Fatality. Serão golpes que mutilam, arranca a cabeça, queima vivo e até mesmo arranca o esqueleto inteiro pela boca. Os Fatalities fizeram tanto sucesso e deram tão certo que continuaram a aparecer em futuros games da série e também em outros games de luta que vieram futuramente: Killer Instinct, War Gods e Eternal Champions, são exemplos, mas nenhum destes jogos fez fatais tão bons quanto os da série MK.

A dificuldade não é das mais elevadas. Sabendo pelo menos um golpe de cada personagem já é possível se dar bem. As lutas se dividem em três rodadas, na primeira rodada enfrentamos todos os 7 personagens jogáveis, na segunda rodada serão três lutas onde se enfrenta uma dupla e na terceira rodada,Goro e Shang-Tsung.

Conclusão


Mortal Kombat foi um belo game, o sucesso deu origem a mais três edições para os fliperamas e 16 bits. Em minha opinião, o game teve somente mais três sequências relevantes. A partir do Mortal Kombat 4 eu deixei de acompanhar a série, pois a partir daí a série perdeu muito sua identidade. Mas até hoje a Midway ainda lança games da série. Se você conheceu MK pelos jogos mais recentes, então não deixe de conferir o início de tudo, a origem do torneio onde o vencedor decide o destino do mundo, o Mortal Kombat começou.


Nota Final







Análise escrita por: Lipe Vasconcelos.











4 comentários:

  1. Mortal Kombat é a prova de que o pessoal curte uma sanguinolencia injustificada.Ainda não entrou no meu top 3 jogos de luta.

    ResponderExcluir
  2. Discordo rs.

    Se fosse pela violência, todos os games da série deveriam ter sido um sucesso estrondoso. Os games que vieram do 4 em diante aproveitaram a tecnologia das plataformas seguintes e conseguiram ser até mais violentos que o primeiro MK. mas a falta de qualidade que o game tinha antigamente faz os jogadores se afastarem!

    Falar que MK fez sucesso só por causa da violência é tirar todo o mérito que o game teve na qualidade gráfica e na jogabilidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É claro.Chegou uma hora que perdeu a surpresa por isso.Já tinha ficado normal ter o sangue.Não to dizendo que é ruim mas que pra se impulsionar como jogo de luta, ele precisou de um motor movido a sangue.

      Excluir
  3. Muito bom, sempre gostei de jogar MK, é meu jogo favorito, achei ate uns clones do mortal kombat kkk, quem quiser dar uma olhada o link ta aqui https://www.youtube.com/watch?v=hNMIH4-VhFw

    ResponderExcluir