sexta-feira, 31 de maio de 2013

Análise: GoldenEye 007





My name is Bond... James Bond!





Quantas vezes já ouvimos essa clássica fala? Pois é! Sabemos que é impossível alguém não conhecer o famoso agente 007. James Bond foi criado em 1953 pelo escritor Lan Flaming. Primeiramente, as aventuras de Bond eram vendidas em livros, até que em 1962, Bond chegou aos cinemas com o filme 007 Contra o Satânico Dr. No. A partir daí se tornou uma famosa franquia de filmes de ação e espionagem que dura até os dias atuais.

James Bond é um espião que trabalha para na agencia MI-6, uma empresa de espionagem da Inglaterra que trabalha diretamente para o Governo de sua Majestade. Bond é o sétimo agente a ter a licença 00 que, significa licença para matar. Por esse motivo o seu código é 007. Bond é um herói bem diferente da maioria. Esta sempre agindo como um perfeito cavalheiro. É um exímio conquistador de mulheres e acompanhado por um sofisticado equipamento e armas de ultima geração. 007 ficou conhecido pelas absurdas cenas de ação onde o agente sempre faz coisas realmente duvidosas para salvar sua pele.

Das telas do cinema para os vídeo games.

Com o sucesso dos filmes e dos livros era natural que Bond se tornasse um herói dos games. Infelizmente, a maioria dos games baseados em 007 havia sido bastante fraco. Quem ai se lembra do desastroso James Bond Jr, do Super Nintendo?


Em 1995 chegava ás telonas o filme 007 Contra Goldeneye: O primeiro com Pierce Brosnan, sendo este o filme mais bem sucedido de toda a franquia (acho que Skyfall o superou). Dois anos após o lançamento do filme a Rare desenvolveu um game baseado no mesmo. Goldeneye 007 é sem favor nenhum o melhor game de tiro feito para o N64. Pode-se dizer que este foi o primeiro do gênero cujo objetivo iria muito além de matar uma série de inimigos para atravessar um cenário. As revistas da época consideraram Goldeneye como um jogo que revolucionou o gênero de tiro em primeira pessoa; não só por sua épica campanha, mas também por ser o primeiro game de tiro em um console a vingar um modo multiplayer tão completo.

História

A história do game é a mesma do filme. Espiões dentro da MI-6 se aliam a terroristas russos e se apossam de um poderoso satélite chamado Goldeneye. Este satélite é capaz de causar pane em qualquer circuito eletrônico no mundo. Em mãos erradas poderia ser uma arma de destruição em massa.

Bond é designado para localizar e destruir o satélite. Para isto, ele contará com a ajuda de Natalya Simonova, uma expert em informática. Mas há muitos mistérios por trás do roubo do satélite, e Bond se encontrará com o seu maior inimigo.

Ação e estratégia

Antes de Goldeneye a maioria dos games de tiro em primeira pessoa se resumia em sair matando qualquer inimigo na tela. Mas aqui há mais coisas para serem feitas. Em cada fase o jogador recebe várias missões especificas que deverão ser rigorosamente cumpridas. Algumas delas exigem que o agente seja silencioso e discreto, ou procurar um item ou equipamento especifico. Ou então, simplesmente, participar de uma troca de tiros até o fim. Cumprir todos os objetivos é essencial para prosseguir no jogo. Goldeneye não é 100% fiel ao filme. A Rare adicionou missões e acontecimentos extras no game. A intenção foi deixá-lo mais longo e variado. Também não fez muito mal ao longa criar eventos que não existem na obra original.


Bond poderá contar com uma série de armas ao longo de suas missões. Infelizmente, é necessário sempre coletá-las ao inicio de cada missão. O espião poderá usar ao todo três tipos de pistolas, oito tipos de submetralhadoras e rifles e quatro tipos de explosivos. Há também outras armas e equipamentos como Shotguns, relógios a laser, máquina fotográfica e decodificador de chaves. Por motivos de direitos autorais nenhuma arma recebeu seu verdadeiro nome. Todos foram inventados pela equipe de produção da Rare.

Graças ao inventivo controle do Nintendo 64, foi possível fazer um bom mapeamento dos botões. Bond pode usar os botões C para cima e para baixo para olhar para essas respectivas direções. Os botões C esquerda e direita fazem com que o agente ande para os lados. Segurando o botão L ou R você pode usar uma mira mais detalhada. Isso é muito útil para missões onde é necessário eliminar os inimigos sem ser visto.

Apertando o Star você acessa o relógio de Bond que mostrará algumas opções do jogo. Neste relógio o jogador pode verificar as missões que devem ser concluídas, verificar o seu equipamento e etc.
O único ponto negativo dos controles é que Bond se movimenta um pouco devagar e não há um botão para que ele corra. Essa movimentação lenta acaba por deixar o game mais difícil nas situações onde o ataque surge de todos os lados.


Goldeneye 007 é um daqueles games onde a dificuldade aumenta a cada novo desafio. No inicio do game há três níveis diferentes para escolher: Agent, Secret Agent e 00 Agent. O nível 007 só fica disponível ao concluir a campanha principal no 00 Agente.

O jogador vai sofrer para cumprir algumas missões do game. Há diversos objetivos para completar. Os inimigos possuem uma interessante inteligência artificial; podendo atacar em formações ou então se esconder para fazer ataques surpresas. A munição é farta, mas James Bond não será tão resistente caso seja alvejado por muitos tiros de uma vez.
  
Parte Técnica

Mesmo com algumas limitações técnicas do Nintendo 64, GoldeNeye aproveita o hardware do console com maestria. Alguns ambientes do filme ficaram bem construídos no game. O agente 007 vai se infiltrar em diversos tipos de bases em diferentes locais do mundo. O design dos cenários ficou muito bom, desde o céu até as paredes e pisos. A interatividade com os cenários também é ótima! Pode parecer um efeito simples hoje em dia, mas era muito divertido atirar nas paredes e ver as balas furarem o concreto. Nas explosões pode-se ver fumaça se dispersando lentamente. A Rare sempre soube trabalhar bem com as limitações do N64.


Os personagens também apresentam uma modelagem aceitável. Os inimigos apresentam leves diferenças no detalhe de seus rostos, roupas e até mesmo no corpo. Gostaria de dar um destaque pra animação dos personagens. Na maioria dos games de tiro daquela época era muito comum os inimigos simplesmente caírem duros no chão quando morriam. Em Goldeneye as mortes têm uma animação toda especial. É muito divertido os ver rolando escada abaixo, vê-los agonizar e outras coisas. Não se tratam de cenas grotescas, é claro! Mas foi uma grande novidade em 1997.

Os efeitos sonoros ficaram legais e bem limpos. Cada arma tem um som característico de disparo. Enquanto enfrentamos inimigos podemos ouvi-los gritando e se comunicando, o som do tiroteio deixa tudo mais empolgante e realista.


A trilha sonora também combinou muito bem com o jogo. As músicas passam adrenalina e tensão para o jogador. A música tema do agente 007 esta presente na apresentação do jogo. Os fãs da franquia com certeza irão gostar muito de ouvi-la.

Conclusão

Goldeneye 007 está na lista dos games mais vendidos do Nintendo 64. O sucesso do jogo foi muito grande e é apontado até hoje como um dos melhores do console. O modo multiplayer se tornou um sucesso gigantesco. Quatro jogadores poderiam se enfrentar num clássico modo Deatmath, capture a bandeira e outras modalidades que também foram muito legais. Na época áurea das locadoras era muito comum ver diversos grupos travando partidas furiosas em GoldeNeye.

Em 1999 a Rare perdeu os direitos autorais de 007 para a EA games. O segundo game baseado no espião; 007 The World Is Not Enough foi outro bom titulo no N64, mas não alcançou a mesma popularidade que GoldenEye. A sequência oficial foi lançada pela AE Games. O jogo GoldenEye: Rogue Agent foi lançado para Xbox, Playsation 2, Game Cube e Nintendo DS. O game foi duramente criticado, pois não trazia ligações com o enredo do game anterior e nem as inovações que o fizeram ser tão popular. 



A Rareware lançou em 2000 o game Perfect Dark para o Nintendo 64. A Rare não pode usar nenhum dos personagens de Goldeneye, mas usou o nome das armas do game adicionando a palavra Classic. Extra oficialmente, este jogo é considerado pelos fãs como uma sequência de Goldeneye, devido às referências ao enredo e as armas.

Goldeneye 007 proporcionou grandes emoções para quem pode jogar mais esta obra prima dos games. O confronto contra o agente 006 foi marcante para todos aqueles que possuíram o Nintendo 64 no auge de seu sucesso. Não discorde quando alguém disser que este jogo é, provavelmente, o melhor que a Rare já desenvolveu até hoje.



Nota Final






Análise escrita por: Lipe Vasconcelos.










Um comentário:

  1. Olá!! encanta-me seu blog quisesse afiliarlo em meus sites e você enlaça ao mio, se aceita me responde com uma mensagem a emitacat@gmail.com
    beijos!!

    Emilia

    ResponderExcluir