sexta-feira, 17 de maio de 2013

Artigo: Drácula de Bram Stoker... O melhor romance de vampiros já escrito.





E ainda há quem diga que vídeo game não é cultura. 





E ai, comunidade gamer! Tudo beleza com vocês? Eu espero que sim!

A postagem de hoje é bastante interessante e importante também. A Save Point BR foi indicada pelos amigos do Des-Ocupados para dar continuidade à campanha de incentivo a leitura que os blogs estão espalhando pela rede. Nesta campanha cada blog faz uma postagem indicando um livro ou alguns livros para que nossos leitores tomem gosto pela leitura. Afinal, ler uma postagem é fácil, difícil é ler um livro inteiro. Ao fim da postagem indicarei outros blogs. Espero que esta corrente possa continuar!



Pensar em alguma obra para indicar a vocês foi realmente difícil, pois graças à faculdade, tenho lido somente livros de oficina de texto, gramáticas e muita literatura brasileira. Então, resolvi falar aqui de uma das maiores obras da literatura mundial, Drácula: Bram Stoker. Como diria a galera da Des-Ocupados: Se não leu, leia!

Drácula foi lançado em 1897 pelo escritor Irlandês Bram Stoker. Os fãs de crepúsculo que me perdoem, mas este sim é o romance de vampiros que todo mundo deveria ler. O clima é totalmente gótico, misturando amor com paranóia e perseguição, algo que cai muito bem ao tema. O livro não segue um estilo de narrativa convencional, e sim, se desenvolve de maneira epistolar. Ou seja, a história se constrói através de cartas, relatos de diários e registros de bordos escritos por cada personagem, com cada registro dando devida voz a quem fala. Pode parecer confuso, mas a história se desenvolve com clareza, coerência e dinamismo, sem cansar o leitor.

A história começa quando um jovem advogado inglês, Jonathan Harker, é enviado para um cliente na Transilvânia, onde um rico conde chamado Drácula deseja consultoria para comprar algumas propriedades da Inglaterra. A princípio, o Conde Drácula lhe parece um homem hospitaleiro e bondoso, mas conforme adentra sua residência, Jonathan percebe que o velho se trata de alguém excêntrico e obscuro, com decorações bestiais e um castelo bastante escuro. Não demora muito para Jonathan perceber que não é exatamente um convidado, mas sim um prisioneiro, sendo mantido fraco por mulheres que constantemente se alimentam de seu sangue.

Enquanto isso, o Conde viaja para a Inglaterra onde conhece Mina Harker, noiva de Jonathan. Acontece que Drácula já fora um grande cruzado da igreja católica, dedicando sua vida a Deus e sua obra. Chamado antigamente de Vlad Tepes, o cavaleiro fora noivo de Elisabeth, a qual foi enganada com a falsa noticia de que Vlad teria morrido em combate. Triste, a moça se joga em um rio. Quando Vlad retorna, descobre que sua amada se foi. Revoltado, o cavaleiro amaldiçoa Deus e diz que irá se vingar de sua cria humana, fazendo um pacto com o diabo e se transformando em Drácula. Ao ver Mina, Drácula enxerga novamente sua amada Elizabeth, iniciando assim uma história de amor doentia, repleta de passagens obscuras e encantadoras. Claro que há mais personagens e elementos na história... Mas que tal ler o livro para saber mais?


A adaptação Drácula nos cinemas foi dirigida por ninguém menos que
Francis Ford Coppola.


Drácula é um dos livros mais importantes da literatura mundial. O conto de Bram Stoker é tão difundido na cultura que muitos acreditam que o vampiro é personagem criado pelo próprio irlandês. Várias adaptações foram feitas do livro, entre elas, o filme Drácula, de 1993, que entre algumas modificações aqui e ali (como a de Mina sendo a reencarnação de Elizabeth) foi bem recebido por publico e critica. Em 2001 a banda de Heavy Metal Americana, Iced Earth, compôs uma canção chamada Drácula, baseada no livro. A canção retrata bem o sentimento de ódio e fúria de Vlad, enquanto decide tomar o caminho que lhe tornaria o senhor dos vampiros.  

Drácula na cultura popular.

Muitas obras literárias e cinematográficas reescrevem as lendas em torno do maior vampiro de todos os tempos, e sua grande maioria toma inspiração no livro de Stoker. Em 2004 foi lançado Van Helsing: Caçador de monstros. O personagem foi baseado no professor Abraham Van Helsing, médico e cientista que acredita na teoria dos vampiros. Logicamente, o filme fez algumas alterações no personagem.


John Morris, membro do clã Belmont que protagoniza Castlevania Bloodlines,
é apresentado como filho de Quincey Morris.


No entanto, a maior influência da obra de Stoker está em Castlevania, uma das mais clássicas franquias dos vídeo games. Em Castlevania – Bloodlines, do mega drive, o protagonista John Morris é filho de Quincey Morris. Acontece que Quincey é o responsável por cravar a estaca no coração de Drácula no livro. Desse modo, a Konami sugere uma ligação entre o livro de Bram Stoker com a saga Castlevania, lembrando que o livro é muito mais antigo que o jogo.


Mathias Cronqvist elabora um plano para se tornar Drácula em Lament of Innocence.
Sua história é igual a de Vlad Tepes.


Em 2004 foi lançado o primeiro game da série para o Playstation 2: Castlevania – Lament of Innocence. Este foi o primeiro reboot da série, onde a história da batalha entre os Belmont e Drácula foi explicada com detalhes. O produtor do game, Iga, utilizou alguns elementos do mesmo livro. Mathias Cronqvist é um cavaleiro da igreja que tem sua esposa morta enquanto está em batalha. Após passar um anos recluso, ele retorna e diz a Leon Belmont que sua noiva foi raptada e levada para um castelo na floresta. No entanto, tudo não passava de um plano para roubar os poderes de Walter, o vampiro dono do castelo. Ao fazer isso, Mathias se torna o Conde Drácula da Konami. Até hoje a franquia Castlevania utiliza elementos da obra de Stoker para compor o enredo da série. 


Bom, é isso ai minha gente. Espero que gostem da sugestão. E pra encerrar, segue a lista dos ... blogs escolhidos para darem continuidade a está campanha. Lembrando que os parceiros que aderirem a campanha devem colocar o selo acima na postagem. Também não seria má ideia colocar o selo visível em todo o blog.





Escrito por: Lipe Vasconcelos.







7 comentários:

  1. Pô cara, ainda bem que te indiquei pra passar essa bola pra frente. Sabia que não ia me decepcionar. Além de falar sobre o livro, ainda traça um paralelo com os games, que são a temática do blog (eu tinha ficado um tanto receoso quanto a isso).
    O bom mesmo foi descobrir todas essas relações entre a obra do Stoker e a franquia Castlevania. Eu nunca tinha parado nem pra ler o livro/assistir o filme quanto pra prestar atenção na história dos jogos... xD

    ResponderExcluir
  2. Lipe Vasconselo vc gostaria de fazer uma parceria com meu blog? ele esta começando ainda mas tem uma boa quantidade de pessoas curtindo a page dele no face. Se vc estiver interessado responda pf vou colocar o link do meu blog:http://centralgamerr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. blz cara... vc pode me falar como eu coloco o seu banner no meu blog?

    ResponderExcluir
  4. Belo post amigo, irei apoiar a campanha.

    ResponderExcluir
  5. Huh. Assisti á adaptação para as telonas no meio de 2013, admito que não me interecei pela adaptação logo de começo, porém aos poucos o filme me "puxou" sabe, e acabei idolatrando ele. Como sou curioso utilizei -certa vez- o nome do autor no Google, e eis que acho um lindissímo PDF (li ele 5 vezes e ainda leio, é um belo conto!)

    ResponderExcluir
  6. Foi um dos primeiros livros que li do começo ao fim, e é tão fantástico que tempo depois li uma segunda vez.
    Flui bem do começo ao fim, cheio de terror e suspense, excelente escolha!

    ResponderExcluir