segunda-feira, 27 de maio de 2013

Artigo: Next Gen coming soon!




E chega a hora de sonhar com a tão esperada oitava geração de games.





É isso ai, meus amigos... Sete anos se passaram, e cá estamos nós; vivendo mais uma transição de geração. Com o lançamento (prematuro, diga-se de passagem) do Nintendo Wii U, a aparição do Playstion 4 e o recente anuncio do X-Box One, finalmente se aproxima a hora de dar adeus a atual geração. Mesmo com o previsto lançamento de vários games para este ano, não há como não pensar no que está por vir! Mas e então? O que de fato devemos esperar? Como vai ser a nova era dos games e que tipo de experiência esperar dos vindouros substitutos das plataformas da Sony e Microsoft? Entre especulações e fatos, separamos as informações mais relevantes até agora, e assim, tentaremos montar o primeiro quebra cabeça em volta da tão aguardada oitava geração dos vídeo games.

O que rolou de 2006 até aqui?

Muita coisa boa e significante rolou nesta geração que se encerra. Para começar, houve uma maior aproximação entre jogadores do mundo todo, graças às redes de games on line; PSN, X Box-Live, Steam e etc. Claro, já era possível jogar via rede no velho X-Box e Ps2, mas essa possibilidade ganhou escalas maiores no X360 e ps3. Graças às suas respectivas redes on line, os jogadores puderam obter conquistas, troféus e pontos por bonificação e ter esses dados divulgados. Além disso, as partidas on line fizeram parte da vida de todos os gamers, já que 90% dos títulos lançados tiveram algum tipo de modalidade via internet, aumentando a vida útil de um jogo.

Essas redes também possibilitaram a venda de títulos digitais por preços mais acessíveis, os computadores até ganharam sua rede exclusiva: O Steam, onde adquirimos os últimos lançamentos do mercado a preços mais amigáveis, sem sair de casa e sem perder nada. Para completar, os jogos ganharam pacotes de expansões, as famosas DLC´s. Ta certo que algumas produtoras fizeram uso indiscriminadamente abusivo desse recurso (Capcom, Eletronic Arts e Activision foram feras nisso), de modo que chegar ao fim de alguns de seus títulos dependia da compra de uma DLC. Esperamos, de verdade, que tal pratica não vire tão comum na next gen.

No que diz respeito à experiência em jogos, o grande revolucionário foi o Nintendo Wii. O console da gigante nipônica foi o único a integrar totalmente os controles de movimento através do Wii Remote. Graças a isso, a Nintendo liderou as vendas no inicio da geração. Claro que, com o tempo, os jogos hardcores da concorrência acabaram tomando conta do mercado, enquanto a Nintendo perdia o espaço por não ter poder para competir com a High Definition dos oponentes. Ainda assim, em se tratando de revolucionar a maneira de jogar, a Nintendo deixou seu nome na história. A Microsoft até trouxe o Kinect, que apesar de bem aceito, ainda não teve um título definitivo para fazer os consumidores desejá-lo. O Playstation Move da Sony, então, nem os exclusivos do PS3 exploraram o periférico.

E o futuro?

O futuro das plataformas continuará sendo uma incógnita. Mas especulações e fatos não faltam. O Nintendo Wii U ainda parece receber a má vontade de algumas produtoras. Apesar de ter recebido bons títulos como Assassins Creed 3,  Batman: Arkham City e o exclusivo, ZombiU, o novo vídeo game da Nintendo ainda precisa convencer os desenvolvedores de que pode enfrentar a Sony e a Microsoft. O fato é que, seis meses após o seu lançamento, ainda faltam jogos de peso para justificar a compra do aparelho. Vamos ver o que vai vir por ai. Afinal, O publico espera por Pikmin 3, mais um game para o heroi Luigi e o tão esperando anuncio de um novo Zelda. Em se tratando de jogos sociais, ainda se viu pouca expressão da Miniverse. Mas essa falta de expressão também se deve a relutância de parte do publico com relação ao Wii U.

A Sony ainda mantém o design do Playstation 4 em segredo. Até lá, só
nos resta imaginar como o vídeo game será.


O segundo movimento foi dado pela Sony, que apresentou o Playstation 4 dia 20 de fevereiro deste ano. A apresentação do console foi marcada pela demonstração de seus impressionantes gráficos realistas e a perfeita construção de um rosto humano. A Gaikai promete trazer um novo gás a rede on line da Sony, como o botão Share no controle, que permite o compartilhamento de imagens e vídeos de jogos, direto para a rede social. O controle também foi mudado, sendo batizado de Dual Shock 4. Há até o Touch Pad no controle, similar ao pad do Wii U. Mas a Sony ainda não forneceu maiores detalhes sobre como essa novidade vai influenciar na nossa maneira de jogar o Playstation 4. No que diz a respeito a jogos, há anúncios interessantes, como a continuação das franquias: Infamous, Killzone e Assassins Creed.

E por fim, tivemos a bola da vez. A Microsoft mostrou o seu novo X-Box One, com uma série de novidades que geraram mais duvidas e revoltas que aquelas trazidas pelo Wii U. Pra começar, a Microsoft levou sua conferência para um lado que ninguém esperava: Focou-se apenas em falar da interação do console com televisão. De modo geral, parece que o novo x-box quer ser um tipo de computador feito especialmente para meios de entretenimento. O novo console ainda terá um kinect mais poderoso, com direito a reconhecimento de voz e tudo mais. Os recursos do novo aparelho realmente impressionam, é verdade. Também houve o anuncio de 15 títulos exclusivos em desenvolvimento para o X-One, incluindo novas franquias e a teaser de Call of Duty: Ghost. Mas isso não muda o fato de que a Microsoft talvez não queira focar exatamente naquilo que o seu público esperava. Mas as polêmicas estão longe de terminar aqui.

De longe, o fato mais revoltante de todos envolvendo o console seria o seu bloqueio para jogos usados. De acordo com a Microsoft, para que um jogo usado possa rodar em outro aparelho será necessário pagar uma taxa extra, que pode ser equivalente ao preço de um jogo novo. No entanto, nada impede que você leve um jogo para a casa de um amigo e logue sua conta no vídeo game dele. Talvez a Microsoft ache que isso resolva o problema. E ainda há rumores sobre uma possível taxa para cadastro de contas do Kinect 2, algo que ainda não foi confirmado, embora haja uma patente para isso registrada.


Após focar demais em televisão e internet, Microsoft fez uma
amarga apresentação do sucessor do grande X360.


Após os anúncios um tanto decepcionantes referentes ao X-Box One, o Wii U teve uma alta quase que instantânea no mercado. Ao que parece, agora que os três consoles da nova geração estão a espreita, começa-se a desenhar um cenário sobre o que aguardar nos novos vídeo games. Acima de tudo, há uma peça nesse tabuleiro que, aos poucos, ganha mais espaço nessa guerra.

Computadores Vs Consoles.

Não é preciso ser um gênio em informática pra saber o quanto os computadores podem ser mais poderosos que um console.  Mas mesmo com essa vantagem, muitos produtores ainda viravam a cara para essa plataforma. Prova disso foram as inesquecíveis conversões de Devil May Cry 3 e Resident Evil 4. Mas essa geração trouxe muitos jogos interessantes para os computadores, inclusive jogos que nem pareciam ter chances de surgir em computadores: Batman Arkham Asylum, Darksiders e DmC, por exemplo, tem mais cara de console. E ainda foram anunciados para esse ano a chegada de Metal Gear Rising, Castlevania: Lords of Shadow 2 e uma versão do mais novo Mortal Kombat. Estes dois últimos jogos sempre foram exclusivos dos consoles.

Fica cada vez mais difícil ignorar os Pc´s como
plataforma rentável de games.

 Ao que tudo indica o preconceito das produtoras com os computadores estava diretamente ligado a facilidade que os hackers tinham de desenvolver cracks que burlavam as DRM´s de segurança dos títulos, tornando seus downloads ilegais muito mais fáceis. Mas isso mudou com a popularização da Steam. Graças aos precinhos camaradas da loja virtual, muitos jogadores de PC abandonaram a pirataria, tornando o mercado de games pra computador lucrativo. Algo que há muito tempo havia deixado de ser.

E agora? O que esperar?

Wii U executando Batman: Arkahm City. Será que o novo
console da Nintendo vai repetir a revolução da geração anterior?


Sim, agora foi dada a largada oficial da nova geração. Novos games estão a caminho e novas maneiras de jogar. A corrida mal começou, mas após o anuncio da Microsoft, o Wii U disparou. Resta agora ver como vai ser a disputa quando todas as plataformas estiveram na ativa. O Wii U ainda precisa ralar um pouco para convencer os hardcores de que haverá bons títulos para a plataforma. O Playstation 4 não fez uma conferência épica, é verdade. Mas trouxe aquilo que todos nós queríamos ver, e já é algo muito bom. Mas a Microsoft deixou uma péssima impressão do X Box one, e vai precisar suar a camisa se quiser mudar essa imagem. Infelizmente, quanto mais noticias são divulgadas, pior fica a situação da Microsoft.

Mas como falamos, ainda é muito cedo para especular. Assim como a Microsoft pode surpreender no futuro, a Sony pode acabar decepcionando com o seu Playstation 4. Resta apenas esperar para ver o que vem pela frente. Mas acredito que os jogadores esperem mais do que gráficos de ultima geração. É preciso lembrar que mecânicas e roteiros bem elaborados já foram suficientes para salvar jogos de gráficos medianos, enquanto muitos títulos lindos acabaram sendo esquecidos devido a sua experiência pouco atraente de jogo. Também é de sentimento geral que as DLC´s não sejam tão mercenárias quanto vem sendo atualmente. Mas enquanto a atual geração não chega, o jeito é esperar o lançamento dos títulos para as atuais plataformas.



Escrito por: Lipe Vasconcelos.







Nenhum comentário:

Postar um comentário