quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Joguei e não recomendo: Silent Hill - Shattered Memories



Mais um Remake que envergonha o jogo original.





O final da década de 90 foi marcado pelo surgimento da lenda de horror da Konami: Silent Hill, que surpreendeu a todos com um tipo de terror nunca visto antes. Os games seguintes da série mantiveram o nível técnico e jogabilidade bem calibrada, sempre apavorando com tramas obscuras e envolventes. No entanto, a série sofreu um golpe duro com a fraca aceitação de Silent Hill 4: The Room. Não que o game seja ruim! Mas algumas novidades (praticamente todas) em volta de The Room acabaram afastando muitos fãs.

Para tentar tirar Silent Hill da crise a Konami escalou um estúdio novo para dar continuidade à obra. Ainda que a Climax Studios tenha feito um bom trabalho com Silent Hill Origins, a desconfiança em volta da série ainda estava grande. Numa medida desesperada, a Konami e a Climax fizeram aquilo que nunca deveriam ter feito, resolveram desenvolver um remake do primeiro e lendário Silent Hill. O resultado foi Shattered Memories!

Shattered Memories tinha realmente de tudo para ser o retorno triunfal da franquia; afinal, estamos falando do remake do melhor episódio da série. Além disso, a Climax teve boas ideias, visivelmente inspiradas em Clock Tower, Haunting Ground e Fatal Frame. Mas as horríveis execuções fazem de Shattered Memories um jogo cansativo e chato. Ironicamente, a melhor experiência de jogo fica no Nintendo Wii, que além de receber um jogo maduro, usa com inteligência os sensores de movimento.

O enredo é quase o mesmo do jogo original. Harry Mason e sua filha, Cheryl, viajavam para tirar férias em Silent Hill. Mas no caminho Harry sofre um acidente de carro e acaba desmaiando. Quando acorda, Harry está em uma cidade deserta e sua filha desaparecida. A primeira boa ideia do game é que o enredo já aconteceu. Explicando melhor... O jogo acontece numa entrevista com um psiquiatra que vai analisar a saúde mental de Mason de acordo com a história contada por ele. Em vários momentos o jogador terá de responder perguntas que influenciam diretamente no andamento da trama, e consequentemente, no seu final. A conclusão do jogo pode chegar aos extremos mais absurdos do que uma abdução alienígena (finais mais que comuns nos games anteriores da série). Dependendo das escolhas do jogador, o game pode terminar com a revelação de que Harry, na realidade, é Cheryl, em uma crise de esquizofrenia!

Mas ta bom! Talvez esses absurdos já façam parte da cultura de Silent Hill. Então nem entro muito nesse mérito da questão. Shattered Memories talvez seja o jogo que possui a melhor apresentação da franquia no Playstation 2, e definitivamente, um dos últimos jogos de qualidade gráfica do console da Sony. De inicio tudo vai muito bem, obrigado. Os puzzles são interessantes, a cidade é bem sombria e caçar objetos é bastante divertido. Se você estiver jogando no Wii ainda poderá tirar proveito do controle de movimento, que simula com perfeição ações como sacudir uma lata vazia de refrigerante para achar uma chave ou manipular trancas. No Playstation 2 tais ações são feitas com movimentos do analógico direcional, passando longe do prazer de fazê-lo com o Wii Remote.

O maior e principal problema do jogo começa quando entramos no primeiro pesadelo; algo que seria equivalente as aventuras no universo alternativo das edições anteriores. Assim como a protagonista de Hauting Ground, Harry é incapaz de enfrentar diretamente os seus oponentes, sobrando apenas à alternativa de fugir e se esconder. O problema é que a mecânica foi muito mal feita. As criaturas surgem de todos os lados imagináveis, em velocidade extremamente frenética para um jogo do gênero. Caso seja agarrado, o jogador entra numa espécie de Quick Time Event onde deve pressionar os botões no momento certo para repelir o oponente. Pena que a mecânica falha em 90% das vezes, como se funcionasse apenas quando quisesse. Mais uma vez, a versão do Wii conta com os movimentos para deixar tudo melhor.

Só o ato de fugir parece ser impossível, pois os monstros são absurdamente ágeis. Não importa onde Mason se esconda, ele sempre será encontrado... SEMPRE! A situação fica pior quando for necessário resolver puzzles enquanto for perseguido. O que deveria ser o momento mais aterrorizante e prazeroso do jogo acaba se tornando o mais irritante e chato. Pra completar, ainda há a possibilidade de tirar fotos de espíritos usando um celular. Sim, você também já viu isso... Você viu em Fatal Frame.

Como dito anteriormente, a apresentação gráfica do jogo é excelente. Os cenários abusam de cores frias e escuridão constante. Os chãos de ferro e sangue por todo lado, característica da realidade alternativa, foram substituídos por cenários totalmente congelados e com um clima bastante opressor. O trabalho de iluminação é de encher os olhos. No Playstation 2 o game está visivelmente mais contido, enquanto a versão do Wii explora com maestria o hardware da Nintendo. O som também segue o padrão de qualidade que todo fã de Silent Hill conhece, ou seja, sons sinistros vindo de longe e canções memoráveis que passam todo o clima de angustia da busca de Harry.

Shattered Memories é um exemplo de como uma única ideia errada consegue destruir todas as outras boas. Pela lógica, seria interessante ver um personagem humano que não tente enfrentar aquilo que não conhece. Mas a Climax falhou ao criar um sistema de fuga extremamente falho, que acaba irritando profundamente o jogador. Com uma excelente apresentação gráfica, história aceitável e mecânica destruída, Silent Hill: Shattered Memories é mais uma tentativa falha de reviver a gloria de Silent Hill.










Escrito por: Lipe Vasconcelos.






9 comentários:

  1. Amei esse Silent XD
    Ele entra como uma "releitura" e não "remake", porque objetivo não foi fazer o 1 de novo e sim um jogo diferente com base na mesma história. Fica mais interessante se você não olhar ele como um Silent hill tradicional (tipo o caso do Sonic Unleashed)
    A jogabilidade é muito diferente (pra alguns pior, porque não é lá um survivor horror com ítens contados e batalhas, mas pra outros isso é melhor rsrs). O que mais gostei foi a ênfase no lado psicológico, que é o forte da série pra mim.
    E o final é esse mesmo *spoiler lá!* só muda como seu personagem vai reagir a isso rsrsrsr
    Não é o melhor silent hill, mas considero um dos mais memoráveis =D

    ResponderExcluir
  2. Silent hill shattered memories nao tentou reviver Silent Hill 1 e nao foi um remake! Shattered Memories na minha opinião é o que tem mais terror psicológico e é um game fantástico! concordo com a Luna Mariah. Você devia analisa-lo melhor, se você quer um silent hill 1 já jogar o próprio! Não fique falando merda do Shattered Memories! Ele é diferente mas Todos os jogos da Saga SILENT HILL são bons (pelo menos os da geração passada), agora vai do gosto de cada um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não acho que eu tenha falado merda. Tudo bem... falha minha encará-lo como remake (até por que, na sua fase de desenvolvimento a Konami sempre o tratou como Remake). Agora, eu tenho todo direito de não gostar de um jogo e expor minha opinião. Se você gostou, parabéns. Eu nunca disse que meu blog traz a verdade absoluta sobre os jogos. Agora, dizer que minha opinião é uma merda por que eu não gostei de um jogo que você gosta já é meio forçado. Eu joguei muiiito esse jogo, eu não gostei, e o fato de o jogo ser ou não um remake não tira o fundamento das minhas demais ideias. Simples assim!

      Excluir
    2. Na realidade não é nem remake nem releitura ou re-imaginado, pois analizando com mais cuidado ele segue uma ondem cronológica (SH Origins, SH 1, SH 3 e SH Shattered Memories)

      Excluir
  3. Po me desculpa, fui ignorante. É que tudo que o jogo traz de bom você apontou como um fator ruim, é facil falar mal de algo que não gosta, mas tem gente que gosta do jogo. Mas voc está certo, sua opinião nao é uma merda, me equivoquei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Gabriel... todos os jogos que tem nessa seção tem o seu público. Até o horrível Hong Kong 97 tem sua parcela de fãs. Se eu for partir do principio de que tem gente que gosta do Shatered Memories eu não vou poder escrever de nenhum jogo pra seção do "Joguei e Não Recomendo", por que sempre vai ter alguém vindo me xingar. Mas é como eu disse acima, todos tem o direito de gostar ou não gostar. Eu joguei, analisei e tirei minhas conclusões. Antes de tudo, meu blog tem a finalidade de divertir. E acho muito extremo levar uma postagem tão a sério. A pessoa tem todo o direito de vir, comentar e expor sua ideia de maneira civilizada, conforme fez a Luna. Agora, quando a pessoa vem e me diz "vc falou merda" eu me sinto no direito de ficar ofendido, por que eu nunca escrevo uma opinião sem fundamentá-la. Você tem direito de não concordar, mas nunca de desrespeitar!

      Excluir
  4. Eu adorei esse jogo, zerei umas 5 vezes ou mais.

    ResponderExcluir
  5. quanta merda. o game é fantastico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que é merda? Só porque você gostou do jogo todos são obrigados a gostar? Você tá errado! Eu joguei e zerei o jogo, tive meus motivos de não gostas. O Blog é meu e eu escrevo o que bem entender. Você tem direito de não concordar, mas se não tiver um embasamento melhor, não venha dizer que eu falei merda de graça.

      Excluir