sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Análise: Toy Story





VOCÊ... É UM... BRINQUEDO... DE... CRIANÇAAAA!!! ¬¬




Toy Story foi o longa-metragem que iniciou a parceria da Disney com os estúdios da Pixar. É considerado também o primeiro filme feito 100% em animação computadorizada. Uma pena que esse formato tenha ajudado a dar fim nas animações padrões feitas a mão. De qualquer forma, Toy Story foi um longa de muito sucesso na história da Disney, não apenas por usar animação gráfica, mas também por ter uma história divertida e cativante. Este é um filme que marcou bastante a infância de muitos. Mesmo que pareça meio infantil eu dizer isso atualmente, mas nunca perco uma oportunidade de rever este clássico.

Das telas de cinema para os vídeo games

É praticamente impossível a Disney lançar filmes que não sejam um sucesso. Com Toy Story não foi diferente. O sucesso do filme gerou revistas, álbuns de figurinhas, cadernos, brinquedos e é claro, um divertido game onde aqueles que se divertiram com o filme também iriam viver aquela divertida história. Toy Story foi lançado para Super Nintendo e Mega Drive, com a análise sendo escrita com base da versão do SNES.



O principal fato que fez com que Toy Story se tornasse tão popular foi usar uma história que sempre viveu na imaginação de qualquer criança. Não seria legal se nossos brinquedos tivessem vida própria para brincar conosco? E o que fariam se o tivessem?

Enredo

Toy Story mostra o mundo dentro do quarto de um garoto de 6 anos chamado Andy. Como toda criança de 6 anos, Andy adora brincar com os seus brinquedos. De todos eles, o seu favorito é um boneco de pano Caubói chamado Wood.

Quando Andy não esta presente, os seus brinquedos “ganham” vida e se divertem sem o garoto. Interessante é que os brinquedos de seu quarto vivem em uma espécie de comunidade. Como Wood é o favorito, ele também é como se fosse o líder dos brinquedos. Wood tem uma vida feliz sendo o favorito de seu dono e o mais querido entre os demais brinquedos. Mas essa alegria muda totalmente quando, no seu sétimo aniversário, Andy ganha um boneco novo chamado Buzz Lightyear.

Enquanto Woody é um simples boneco de pano, Buzz é o boneco de um patrulheiro espacial dos mais avançados já feito. Logo, Andy tem Buzz como o seu novo brinquedo favorito. Não só Andy se sente impressionado com Buzz, como também os demais brinquedos. Depois de um ataque de ciúmes, Wood se livra de Buzz e ganha a hostilidade dos outros brinquedos do quarto.

Agora Wood terá que salvar Buzz para que deixe de ser odiado por seus amigos. Mas a tarefa é complicada, pois Wood tem apenas um dia para voltar para casa antes da mudança. O caubói também terá de lidar com o problema de que Buzz não aceita o fato de que não passa de um brinquedo de criança.

Fiel ao filme

Toy Story ficou incrivelmente fiel ao filme. Todas as situações do longa foram retratadas de forma muito legal no jogo. Nas fases você fará coisa como guardar os brinquedos no baú, dirigir o carrinho de controle remoto de Andy, se aventurar no interior de uma maquina de pegar bonecos de pelúcia e até enfrentar Buzz em um combate muito divertido.



Além de fazer as mesmas coisas que acontecem no filme, você também vai interagir com os cativantes personagens; como o Sr. Cabeça de Batata, o porquinho e Rex, que em minha opinião é o personagem mais hilário do filme.

O game segue o estilo de um típico título de ação/plataforma, com controles que respondem muito bem. Wood pode pular e paralisar outros brinquedos usando a cordinha da sua costa. A mesma cordinha também pode ser usada para se engatar em ganchos e argolas e se balançar. Todos os comandos respondem de modo eficiente, sem apresentar atrasos.



A dificuldade de Toy Story aumenta conforme o jogador avança. Mas nota-se que é um jogo bem trabalhoso, levando em conta o publico a que se destina. Em algumas fases há chefes para enfrentar, nada de muito difícil, mas também não será bico. Chega ao fim de Toy Story requer um bom tempo, pois o game traz um número muito grande de fases para serem completadas. Curiosamente, na versão Européia do jogo pode-se usar passwords, já na versão Americana não.

Parte técnica.

Os gráficos são excelentes. A Traveller´s Tales recriou com perfeição os cenários do filme. Wood vai se aventurar no quarto de Andy, numa pizzaria, dentro de uma maquina de pegar brinquedos, e etc. Os efeitos de profundidade das fases ficaram realmente impressionantes. Parece que você esta jogando o próprio filme.

Os personagens possuem desenhos perfeitos e idênticos aos bonecos do filme. Os detalhes ficaram tão bons que os desenhos dos personagens não são meros desenhos, realmente ficaram perfeitos até mesmo nas animações. Destaques para o Rex e o próprio Wood e a sua maneira de correr. No intervalo de uma fase para outra a história do game é contada usando imagens tiradas do filme.




Os efeitos sonoros também ficaram muito legais. As vozes foram tiradas da versão americana do filme. Wood dá gritos sempre que é atingido por um inimigo. Na luta contra Buzz você pode escutá-lo dizer To infinity and beyond, e na fase onde você resgata os bonecos extraterrestres pode-se ouvi-los fazer sua saudação. Os sons do passo de Wood, dos brinquedos, tudo ficou de uma qualidade soberba.

As músicas são um show. São bem animadas e no melhor clima alegre e infantil. A qualidade das músicas está ótima, pois são temas tocados em piano clássico. A trilha sonora é de um tremendo bom gosto. Na tela de apresentação do game ainda pode-se ouvir a música tema do filme, a qual tenho certeza que muitas das crianças da época cantarolavam em casa.

Conclusão.

Toy Story é um game bem simples, mas também muito viciante. Joguei muito este game no tempo em que o filme estava em alta. Não foi apenas o filme que marcou na minha infância, mas o jogo também foi muito querido. Qualquer fã do longa ou até mesmo fã dos games inspirados nos personagens Disney vão se viciar neste game.



Se você também curtiu o filme deseja reviver os momentos mais divertidos de Wood e Buzz, você pode assistir ao filme novamente ou jogar a aventura dos brinquedos mais queridos em seu Super Nintendo. Jogo 100% recomendado.



Nota Final.





Análise escrita por: Lipe Vasconcelos.







Um comentário:

  1. Jogão.Tinha ele aqui em casa. A fidelidade com o filme era muito boa principalmente com as "cutscenes". Só o woody que tem um sprite meio bugado xD

    ResponderExcluir