sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Análise: Batman Begins




O nascimento do cavaleiro das trevas... Em portátil! 





Levou oito anos para que a Warner lançasse um novo filme do Batman.Ou seja, muito tempo para apagar a mancha negra deixada por “Batman e Robin” que foi um verdadeiro fracasso de bilheteria e também o pior filme de super-herói da história. O quinto filme da saga de Batman só seria lançado em 2005, pelas mãos de Christopher Nolan. Mas na realidade, o quinto filme da um verdadeiro reboot na saga. E que reboot!

Batman Begins deu inicio a aclamada "trilogia Nolan" do homem morcego. É claro que um filme tão bom não deixaria de ter um game homônimo. Como é de se esperar, Batman Begins ganhou conversão para diversas plataformas, e os donos de um Game Boy Advance puderam jogar um excelente game... Até melhor que as edições dos consoles de mesa.  Batman Begins segue o estilo dos velhos jogos do homem-morcego, um jogo bem simples e divertido.

Enredo.

Bruce Wayne tinha apenas nove anos de idade quando viu seus pais morrerem durante um assalto, enquanto saíam de uma peça de teatro. Anos se passaram e Bruce cresceu com a vontade de vingar a morte de seus pais. Seu desejo por vingança o levou a viajar pelo mundo para que pudesse entender a mente criminosa. Suas viagens o levaram a conhecer um homem chamado de Ras Al Ghul, mestre de um clã de ninjas chamado de Liga das Sombras. 


Na liga das Sombras Bruce recebe todo o seu treinamento, que inclui luta e técnicas de camuflagem. Sete anos depois, Bruce retorna a Gothan City e descobre que a cidade esta sendo controlada pela máfia de um homem conhecido como Carmine Falcone. Gothan City se tornou um lugar corrupto e sem lei alguma. Para combater o crime Bruce usa o seu treinamento e se torna Batman. O justiceiro mascarado.

Fiel ao filme

Batman Begins conseguiu ser muito fiel ao filme, ponto que deixa o jogo mais divertido. O jogador poderá realizar todas as ações que Batman faz no longa. Na primeira fase você aprende todos os movimentos básicos, que vão desde dar belas porradas nos inimigos a se esconder nas sombras, de modo que é possível agarrar os inimigos de surpresa.



Todas as fases seguem o roteiro do filme; o treinamento de Bruce Wayne, sua perseguição a máfia de Falcone, sua batalha contra o Espantalho e a Liga das Sombras. Tudo para que o jogador sinta o clima do longa metragem no game. Minha única reclamação é que não é possível dirigir o batmovel no game. Todo jogo do Batman que se preze deve dar ao jogador a oportunidade de ficar no controle da máquina do cavaleiro das trevas. Nem tudo é perfeito.
  
Agindo nas sombras

Batman Begins é um jogo de ação/plataforma bem linear, mas não vai ser em todas as fases que se deve descer o cacete em todos. Para ser o verdadeiro cavaleiro das trevas é preciso aprender a hora certa de agir e como agir. Em algumas fases você deve passar escondido por guardas e seguranças. Nas fases onde a ação é livre é preciso ter muita cautela na hora de partir pro ataque, pois os inimigos atacam de todos os lados. Ir com muita sede ao poto pode significar estar em maus lençóis.



Batman pode atacar com socos, chutes, rasteiras, voadoras e nas horas de agonia pode-se apelar para o cinto de utilidades, onde podemos encontrar bombas paralisantes, bombas de fumaça, um bumerangue que paralisa e desarma inimigos, a velha pistola para escalar e até mesmo um sonar que chama uma nuvem de morcegos para proteger Batman dos seus inimigos.

Os controles de Batman Begins poderiam ser bons, mas não são. Isso por que o excesso de Slow-Downs faz com que os comandos atrasem na resposta. Esse é um problema que se torna constante, principalmente nas fases finais do game. Mas quando os Slown-Downs não atrapalham os comandos se tornam bem eficazes. Batman pode dar um salto duplo e manter-se no ar se mantermos o botão de pulo pressionado. Ao apertar Select você muda a arma que deseja usar no cinto de utilidades. Batman também pode se agarrar em cordas e correntes, escalar paredes, executar simples e eficazes combos para vencer seus inimigos e até defender golpes.



Batman Begins começa fácil, mas fica mais trabalhoso a cada nova fase. Em determinados pontos do game ele é salvo automaticamente, de modo que você pode continuar quando bem entender sem precisar anotar senhas. Os Slow-Downs também deixam o jogo um pouco mais trabalhoso. Mas tirando os erros técnicos, Batman Begins traz fases infestadas de inimigos chatos que precisam ser vencidos com estratégia. Em alguns momentos, fugir das lutas pode ser bem mais pratico. Os jogos inspirados em Batman sempre trazem uma dificuldade um pouco alta, para que o jogador se sinta de verdade na pele de Bruce Wayne.


Gráficos



São simplesmente fantásticos. A Eletronic Arts conseguiu recriar perfeitamente a Gothan City do filme, e isso em uma telinha pequena. Os ambientes abertos se tornam um colírio para os olhos, com lindos movimentos de nuvens, chuvas, névoas e outros efeitos que deixam o jogo realmente realista. Os jogadores poderão se aventurar nas ruas de Gothan City, no temido Asilo de Arkham e até mesmo no interior da mansão Wayne. A riqueza de detalhes de Batman Begins é impressionante.

Os personagens também estão perfeitos, começando pelo próprio Batman. Se você olhar com bons olhos vai notar os belos detalhes na sua roupa, com um brilho bem característico. Outros personagens também ficaram muito bem feitos. O mais bacana é notar que a iluminação dos ambientes influencia nos personagens. Se Batman passar num lugar muito claro a luz reflete em sua roupa, assim como ela fica mais escura ao passar em lugares com sombra. No intervalo de uma fase para outra você pode curtir belas cenas ao estilo quadrinhos, que ajudam a contar a história do game. 



Com tantos detalhes legais houve um ponto que é muito prejudicial ao game. O excesso de detalhes o faz ter muitos slow-downs. Basta aparecer dois inimigos a mais na tela para que a lentidão comece. Esse probleminha persegue o jogador do inicio ao fim do game.

Os efeitos sonoros também são ótimos. É bem divertido ouvir os inimigos exclamara “Batman!” quando o vêem de longe. Os efeitos sonoros de Batman Begins ficaram muito bem feitos. Não existe um único efeito sonoro que não tenha caído como uma luva para o jogo.

A trilha sonora é igualmente boa, com músicas sombrias e empolgantes, exatamente como devem ser. A música dos chefes é sem dúvida a melhor, pois é super tensa e grudenta. Aumente o volume para curtir a trilha excelente de Batman Begins.

Conclusão

Batman Begins segue o estilo de um clássico jogo de ação/plataforma, muita ação, muitos saltos e chefes para serem enfrentados, ainda que os chefes não sejam super difíceis. As lentidão constante do game é algo que chega a causar tristeza, pois para um jogo tão bom esse problema deixa a impressão de que Batman Begins é um péssimo jogo, coisa que passa longe.



Eu sendo um grande fã do Batman, simplesmente adorei o jogo, já o terminei várias e várias vezes. Se você conseguiu curtir o primeiro filme da nova trilogia do novo Batman, então Batman Begins vai fazer você reviver os acontecimentos do filme. Um game que é 100% recomendado para qualquer fã. A versão de GBA é até mais recomendada que a dos consoles de mesa!






Nota Final.





Análise escrita por: Lipe Vasconcelos.







Nenhum comentário:

Postar um comentário