segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Games Proibidos: Manhunt (série)



O polêmico simulador de assassinatos da Rockstar Games.







Eles incomodam. Induzem ao crime e a violência. Eles são péssimos exemplos para a sociedade. Eles nos tornam satanistas e anarquistas do governo Dilma e só querem destruir sua família (SQN)!

Eles são os jogos proibidos. Os games que o governo ou os seus pais não querem que você coloque os seus olhos. Mas sabe como é, né... Leis no Brasil foram feitas para serem quebradas (infelizmente), e fico feliz em dizer que jogos proibidos rodam a todo vapor aqui na redação da Save Point BR (redação de uma pessoa só, diga-se de passagem).

Enfim... Está entrando no ar hoje a mais nova seção do blog. Aqui falaremos daqueles jogos que são proibidos tanto em nosso país como em nossas casas (é, eu sei que o Ambu fala isso nos vídeos dele. Me processem!). Mas aqui o foco dos textos é menos puxado para uma análise e mais para alguns aspectos do game que o fizeram ser proibido em alguns lugares. Para começar a seção falaremos de uma das franquias mais polêmicas, violentas e divertidas da atualidade.

Manhunt: O simulador de assassinato.



Quando falamos em jogos de sobrevivência, logo nos vem à cabeça títulos como Resident Evil, Silent Hill e Dead Space. Mas em 2003 a Rockstar levou o conceito de sobrevivência ao patamar mais sujo e desesperador da mente humana. Nascia ali Manhunt, um jogo perturbador de ação furtiva, onde o objetivo do jogador é matar para sobreviver em uma doentia caçada humana.

No enredo, James Earl Cash é condenado à morte por injeção letal, devido a crimes não esclarecidos. Mas na noite da execução, Cash acorda em um galpão de uma cidade deserta. O criminoso descobre que na verdade foi seqüestrado e levado para uma cidade “cenográfica” chamada Carcer City, construída por um diretor de cinema expulso de Hollywood, o qual o jogador conhece apenas por “Director” (O diretor).



O Diretor está gravando seu mais novo filme, onde o protagonista será Cash. O condenado precisa sobreviver em uma cidade infestada de assassinos, estupradores, pedófilos e doentes mentais que querem matá-lo a todo custo. É matar ou morrer! Então, Cash será filmado enquanto é obrigado a matar outros homens da maneira mais brutal possível, tudo para satisfazer os desejos do homem que o colocou ali.

Manhunt traz um nível de violência altíssimo. Cash pode usar diversos tipos de armas durante o jogo; faca, cutelo de carne, arame farpado, martelo, taco de beisebol, saco plástico e etc. Cada arma possui três níveis de execução, que dividem-se em violentas, muito violentas e brutais. Cash pode esmagar cabeças, degolar, asfixiar e muito mais. Mais chocante ainda é o ângulo de câmera das execuções, que permite que o jogador assista  detalhadamente a morte do desgraçado.    

Apologia ao Snuff Movie?

Claro! Jogos violentos como Manhunt já existiam vários na época. Mas a ideia de ser filmado enquanto mata era novidade. Era simplesmente aterrador saber que o jogador estava preso a uma perseguição tão doentia. As cenas de morte também são bem explicitas, aumentando ainda mais o realismo do game. Com tudo isso, Manhunt lembrou demais a pratica dos Snuff Movies, que são filmes onde o assassino registra enquanto tortura e mata sua vitima.



Como os Snuff Movies são uma realidade muito assustadora, os críticos caíram matando em Manhunt, alegando que o game era medonho demais para o mercado. Ainda assim, poucos países pediram a proibição do jogo. Houve um caso nos Estados Unidos onde uma jovem foi assassinada brutalmente por um amigo de colégio (não encontrei maiores detalhes do caso). O fato é que um senador pediu a proibição de Manhunt, alegando que o jogo era doentio demais e transformava as pessoas em assassinas. De fato, Manhunt teve sua venda proibida em terras americanas e em alguns países da Europa.




Manhunt 2 – Mais violento e mais doentio.



Toda polêmica em volta de Manhunt só ajudou a impulsionar as vendas do game, que recebeu uma continuação em 2007. Manhunt 2 pode não ter alcançado o mesmo sucesso e popularidade de seu irmão mais velho, mas seu lançamento foi mais polêmico. Dessa vez o jogador assume o controle de Daniel Lamb (Dany), um ex-cientista que foi parar no sanatório devido ao seu trabalho com um programa de armas militares baseadas em drogas. O programa era simplesmente chamado de Projeto. Um dia Dany escapa no sanatório junto com um amigo chamado Leo, e descobre que o Projeto quer eliminá-lo a todo custo. Dany então parte numa busca para descobrir por que o Projeto o quer morto.



Dessa vez o enredo explora mais o lado esquizofrênico do personagem. Dany não é um assassino frio igual Cash. No entanto, o ex-cientista está sendo caçado por pessoas que querem matá-lo a todo custo, logo, ele aprende que precisa ser igualmente brutal se quiser sobreviver.  Dany tem frequentes ataques de loucura. Ele também descobre que (SPOILLER, SE QUISER LER ILUMINE A FRASE COM O MOUSE A SEGUIR) Leo na verdade é uma segunda personalidade dele, o seu lado ruim e psicopata que o induz a matar de forma violenta.

O nível de violência de Manhunt 2 também é altíssimo. Graças às novas tecnologias gráficas foi possível criar cenas de morte mais “bonitas” que as do game anterior, com detalhes mais perturbadores e mais sangue. De fato, Manhunt 2 é tão violento que as versões para console possuem filtros que deixam a tela mais opaca, de modo que as cenas ficam censuradas. Algumas fases do game também são perturbadoras, como na Sexual Deviants. Está fase acontece numa boate pertencente ao Projeto. Nos fundos dela há diversas câmaras de torturas, com pessoas sendo cruelmente torturadas. Quem já viu os filmes da franquia “O Albergue” vai achar o ambiente bem familiar com aquele apresentado no filme.



Naturalmente, Manhunt 2 sofreu proibições mais pesadas. A versão para PC, chamada de Director´s Cult (versão do diretor) é totalmente sem censura, sendo proibida em todo o Reino Unido, Itália, Irlanda e Suíça. Nos demais países, o game foi comercializado somente com as cenas devidamente censuradas, enquanto a Nova Zelândia não permitiu nenhuma versão do jogo no mercado. Resultado, Manhunt 2 é lembrado como o jogo mais violento já lançado.






Escrito por: Lipe Vasconcelos.





  



Nenhum comentário:

Postar um comentário