segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Análise: Danan - The Jungle Fighter.




Mais um guerreiro da selva com tanguinha! 



Danan: The Jungle Fighter é mais um daqueles games bem simples e divertidos que o Master System podia oferecer. Muitos confundem simplicidade e baixa dificuldade com má qualidade. O diferencial deste jogo é que, apesar de simples e fácil, Danan: The Jungle Fighter é um game com ideias bem bacanas e bem executadas; além de uma jogabilidade que, se não é genial, pelo menos não deixa o jogador na mão. 



Danan ainda era um bebê quando foi o único sobrevivente em um acidente de avião que ocorreu na selva há 18 anos. O garoto foi criado por um habitante da selva chamado Jimba.

Certo dia Danan voltava de sua caçada matinal quando encontrou Jimba morto. As ultimas palavras de Jimba diziam para que Danan procurasse um velho profeta, pois uma seita está planejando ressuscitar um antigo demônio chamado Gilbas. Agora Danan vai vingar a morte do velho Jimba e impedir que este poderoso demônio volte à vida. Para isso, o guerreiro precisa atravessar a floresta à procura do templo onde vive a seita de Gilbas.

Lutando, subindo níveis e juntando itens

Danan é um game de plataforma com muita ação. Espere por mecânicas bem conhecidas, como passar de fase e matar chefes. Também há alguns elementos de RPG e exploração que incrementam a diversão e injetam personalidade no título.

No inicio do game, Danan tem apenas uma adaga bem fraca, um nível baixo e um HP de 40/40. Conforme o mocinho mata inimigos,  seu nível sobe, podendo também aumentar o HP e conseguir outros tipos de adagas. Quando se esta nos níveis mais baixos e não possui elixir de cura é bem fácil morrer, e Danan: The Jungle Fighter não possui vidas.



Durante as fases o jogador vai encontrar muitos baús que terão itens úteis para sua jornada. O elixir recupera por completo o HP quando sua vida chegar à zero. Logicamente, a ausência do item acarreta numa indesejável tela de game over. Além do elixir, ainda é possível contar com os pedaços de carne que restauram parte do HP de Danan.

O guerreiro da selva ainda pode usar três animais diferentes que são chamados através dos orbs. Para usar estes orbs é necessário coletar as estrelas que estão escondidas em baús. Cada orb invoca um animal diferente: O primeiro chama um tatu que rola pela tela matando qualquer inimigo que estiver em seu caminho. O segundo orb trará um pássaro que pode levar Danan para o céu caso você queira passar por uma área sem enfrentar nenhum inimigo. O terceiro orb conjuga um macaco que dará a Danan um elixir que cura o HP , sem que seja necessário esperar chegar à zero. 

Aparentemente difícil... Apenas aparente!

Apesar de alguns pesares, este jogo é mel da chupeta. É verdade que as primeiras fases serão bem casca grossa, pois o jogador não contará com itens de cura e o protagonista morre bem rápido com muitos ataques. Conforme você sobe de nível o HP aumenta chegando a até 300/300 e os pontos de ataque ficam bastante altos, fazendo o game ficar realmente muito fácil. 



Outro ponto que dará a impressão de dificuldade é o fato de que os inimigos de Danan estarão armados com espadas, machados, bumerangues e até pistolas, enquanto o nosso selvagem herói usa apenas adagas. Mesmo quando você pega adagas mais poderosas elas ainda são muito curtas, de modo que é necessário ficar próximo do inimigo para atingi-lo.

Mas não se engane, Danan é muito fácil. As fases não trazem armadilhas e nem abismos para ficar pulando o tempo todo, os chefes são simples de serem vencidos. Para detonar Gilbas basta encostar na barriga do monstrengo e esfaqueá-lo sem medo de ser atingido. Nem sentando no pudim é tão moleza assim!

Parte técnica.

Possivelmente, este é um dos jogos mais bonitos do velho Master System. Todos os cenários de Danan: The Jungle Fighter lembram a natureza. Há detalhes das árvores, água, as paredes, cabanas… Enfim, os cenários são todos muito bem construídos e com cores bem fortes.



Os personagens também trazem desenhos muito bons. Danan ficou com detalhes muito legais, principalmente por que seu rosto tem leves feições que não costumavam ser comuns em jogos da era 8 bits. Todos os personagens são bem feitos em seus desenhos, mas a animação não é das mais bonitas. Os bonecos se movimentam de maneira dura. Nada que não seja fora do comum pra essa geração.

Este não é um jogo que traz uma grande diversidade de efeitos sonoros, mas os poucos que estão presentes são muito simples e agradáveis de ouvir. A trilha sonora é ótima e com temas muito bem compostos e com uma qualidade incrível. Infelizmente, é impossível curtir as músicas de Danan: The Jungle Fight. O Motivo? É que toda vez que você muda de tela a música começa do inicio, e como há muitas mudanças de tela durante as fases a música volta para o seu inicio o tempo todo. Um erro medonho em minha opinião, uma bela trilha sonora que não pode ser curtida com gosto pelo jogador.

Conclusão.

Danan: The Jungle Fighter é um game muito divertido. É muito comum encontrarmos jogos difíceis, mas que nem sempre são divertidos. Já Danan consegue ser um jogo fácil e interessante, sem muito esforço! Jogadores mais experientes conseguem terminá-lo em meia hora.



Mesmo sendo fácil e rápido, eu me divertia muito jogando este game no meu velho Master System. Quem adquiriu a mais atual edição do console pode se divertir bastante com Danan The Jungle Fighter. É diversão garantida.


Notal final.





Análise escrita por: Lipe Vasconcelos





Um comentário: